SPORTING 5 - Levski Sofia 0 (Liga Europa)


MANINGUE GOLOS!!!! ASSIM ANIMA!!!!!


Foi um Sporting concretizador que se apresentou em Alvalade no jogo com o Levski, a contar para a segunda jornada da Liga Europa. Os «leões» venceram por um esclarecedor 5-0, com os tentos a serem apontados por Carriço (28 m), Maniche (44 m), Salomão (52 m), Postiga (60 m) e Matias Fernandez (78 m).

A primeira parte do encontro foi totalmente dominada pelos «leões», embora a primeira ocasião de perigo tenha pertencido à equipa búlgara, logo aos três minutos, com um remate de Dembélé, que Rui Patrício defendeu. A formação orientada por Paulo Sérgio não acusou esse lance e partiu para uma boa exibição, imprimindo boa velocidade à partida, jogando sempre com sentido na baliza adversária, embora na zona de finalização, nos primeiros 20 minutos, não tenha conseguido criar as alternativas necessárias para inaugurar o marcador.

O Levski optou por jogar no erro do Sporting, tendo preferido o contra-ataque, mas sem conseguir dar grande trabalho a Rui Patrício.

O pendor ofensivo da partida pertencia ao Sporting, adivinhando-se para breve o tento «leonino», que acabou por surgir aos 27 minutos, por intermédio de Carriço – correspondeu de cabeça a um canto apontado por Matias Fernandez. O golo justificava-se pelo domínio e pela qualidade da equipa «verde e branca». Os pupilos de Paulo Sérgio aproveitaram a velocidade nos flancos para subirem no terreno, com Vukcevic a integrar-se muito bem nas combinações feitas com Postiga, que levaram sempre perigo para a baliza búlgara. Ainda antes do intervalo, Maniche fechou a contagem dos primeiros 45 minutos em 2-0, depois de ser servido do Vukcevic.

A abrir a etapa complementar, Salomão deu o primeiro sinal de perigo, com um remate cruzado, que não entrou no canto superior direito da baliza adversária por muito pouco. O mesmo jogador, ao minuto 53, marcou o terceiro dos «leões», estreando-se assim a marcar de «leão ao peito». O Sporting estava galvanizado com os três golos apontados e continuou balanceado no ataque, dando a entender que o resultado ainda não estava feito. Postiga, ao minuto 60, marcou um grande golo, através de um remate forte de fora da grande área, pondo assim os «leões» com uma vantagem de 4-0.

No minuto seguinte, o 23 dos «leões» podia ter voltado a marcar, mas o poste direito da baliza adversária negou-lhe o tento. Mesmo a vencer por quatro golos sem resposta, o Sporting continuou a «atacar» a baliza adversaria, enquanto que os jogadores do Levski tentavam esboçar uma reacção, mas não conseguiram criar uma única ocasião de perigo para a baliza de Rui Patrício, que não foi mais do que um mero espectador.

Diogo Salomão podia ter bisado aos 71 minutos, mas o remate saiu à figura de Petkov. Já com Saleiro (Postiga, 62 m), André Santos (Maniche, 70) e Abel (Vukcevic, 76 m) em campo, o Sporting chegou ao quinto golo. Abel cruzou para o interior da grande área adversária, Carriço tentou o remate, a bola bateu num defesa do Levski e sobrou para Matias Fernandez, que apontou o quinto tento «verde e branco». O marcador fechou-se com a vitória do Sporting por 5-0, resultado que brinda a boa exibição e a veia goleadora dos «leões».
***************

Liga Europa – 2.ª jornada da fase de grupos
Local: Estádio José Alvalade
Árbitro: Sasha Kever (Suíça)
Árbitros assistentes: Raffael Zeder e Devis Dettamanti
Árbitros adicionais: Carlo Bertolini e Daniel Wermelinger
Resultado ao intervalo: 2-0
30 de Setembro de 2010

Sporting: Rui Patrício, João Pereira, Carriço, Polga, Evaldo, Maniche (André Santos, 70 m), Zapater, Vukcevic (Abel, 76 m), Matias Fernandez, Diogo Salomão e Postiga (Saleiro, 62 m).
Treinador: Paulo Sérgio
Não utilizados: Tiago, Torsiglieri, Yannick e Liedson
Disciplina: Cartão amarelo a Carriço (82 m)
Golos: Carriço (28 m), Maniche (44 m), Salomão (52 m), Postiga (60 m) e Matias Fernandez (78 m).

Levski Sofia: Petkov, Mulder, Ivanov, Miliev, Minev, Greene, Yovov (Ognyanov, 67 m), Mladenov (Slory, 55 m), Tasevski, Joãozinho (Kirov, 78 m) e Dembélé.
Treinador: Yansen Petrov
Não utilizados: Mitrev, Stanchev, Benzoukane e Isa.
Disciplina: Cartão amarelo a Dembélé (73 m).

fonte: www.sporting.pt

SPORTING 1 - Nacional 1 (Liga Portugal)

MANINGUE STRESSANTE ISTO!!!!!!



No encontro da sexta jornada, frente o Nacional, o técnico Paulo Sérgio apresentou uma equipa a jogar em 4x4x2 com Rui Patrício na baliza; João Pereira, Daniel Carriço, Nuno André Coelho e Evaldo na defesa; André Santos, Zapater, Vukcevic e Yannick Djaló no meio-campo e Hélder Postiga e Liedson na posição mais adiantada.

Quanto ao Nacional, o técnico Jokanovic apresentou uma equipa mais talhada para jogar à defesa, apostando no contra-ataque e sempre à espreita do erro dos «leões». Foi um jogo de paciência para o Sporting que procurou sempre não deixar o adversário ter a bola em sua posse e tentou criar o maior número de jogadas de perigo. E, foi isso mesmo que aconteceu no primeiro tempo. O Sporting criou várias situações perigosas, mas não teve sucesso no último passe, chegando ao intervalo sem marcar golos. Vukcevic foi o jogador que mais se destacou, com bons remates, boas assistências, levando a sua equipa a provocar muitos desequilíbrios na defensiva dos madeirenses. Foi uma primeira metade em que os «leões» dominaram, deram espectáculo, faltando unicamente o golo para se fazer justiça no marcador.

No segundo tempo, o treinador apostou em substituir Liedson e Yannick Djaló pelos atacantes Diogo Salomão e Carlos Saleiro. E foi com sucesso que o número nove sportinguista entrou em campo, inaugurando o marcador, aos 63 minutos, com um belíssimo golo. No lance, mais uma vez Vukcevic lançou a bola para a área do Nacional, onde apareceu Nuno André Coelho a desviar para Saleiro marcar. Minutos antes já Postiga tinha ameaçado, rematando ao poste da baliza de Bracali.

O Sporting mostrava-se superior ao seu adversário, mas aos 80 minutos caiu um balde de água fria sobre a cabeça dos «leões». O Nacional, que poucas vezes chegou perto da baliza de Patrício, aproveitou bem um erro da defensiva de verde e conseguiu igualar o jogo através de Danielson. A partir daí, o Sporting tudo fez para contrariar o cenário, mas sem sucesso no remate.
***********************

Ficha de jogo
Estádio José Alvalade
Árbitro: Rui Costa (Porto).

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Carriço, Nuno André Coelho e Evaldo; André Santos (Matias Fernandez, 82 m); Yannick Djaló (Carlos Saleiro, 45 m), Zapater e Vukcevic; Postiga e Liedson (Diogo Salomão, 45 m).
Treinador: Paulo Sérgio
Suplentes não utilizados: Hildebrand, Torsiglieri, Polga e Abel.
Acção disciplinar: cartão amarelo para Carlos Saleiro (48 m), Matias Fernandez (84 m) e Vukcevic (90 m).
Golo: Carlos Saleiro (63 m).

NACIONAL: Bracali; Claudemir, Danielson, Felipe Lopes e Nuno Pinto; Luís Alberto, Pecnick (Bruno Amaro, 71m), Thiago Gentil (Anselmo, 64 m), Edgar Costa e Skolnik; Orlando Sá (Mihelic, 64 m).
Treinador: Jokanovic.
Suplentes não utilizados: Elisson, Patacas, João Aurélio e Juninho.
Golo: Danielson (80 m).

fonte: www.sporting.pt

Lille 1 - SPORTING 2 (Liga Europa)



COM EQUIPA "B" OU "A" É SEMPRE...
....VITORIA DO SPORTING!!!!!!!!!


Paulo Sérgio efectuou nove alterações em relação ao último jogo e o Sporting deu uma grande demonstração da qualidade, e profundidade, do seu plantel com a vitória por 2-1, com golos de Vukcevic (11) e Hélder Postiga (33 m).

O treinador «leonino» promoveu a estreia oficial de Tiago, Torsiglieri e de Diogo Salomão na temporada 2010/11, bem como do regresso ao «onze» de mais seis jogadores, na partida teoricamente mais difícil desta fase de grupos, já que o Lille – quarto classificado do último campeonato a dois pontos do segundo Lyon – foi o clube designado do Pote 2 do sorteio, onde o Sporting foi cabeça-de-série.

E o jogo não poderia ter começado melhor para os «leões» que, após uma primeira dezena de minutos de controlo dos ritmos de jogo, chegou ao golo através de um contra-ataque – após livre lateral contrário perto da área de Tiago – com Abel, rapidíssimo, a fazer a transição defesa-ataque em progressão encontrando André Santos na área, que dominou mal mas a bola chega caprichosamente aos pés do isolado Vukcevic, que, dentro da área, não deu hipóteses ao experiente guardião Landreau.

O Sporting, que tinha adoptado desde o apito inicial uma atitude de ceder a iniciativa de jogo ao adversário – embora pressionando a todo o campo para atacar rapidamente após recuperação de bola – reforçou a estratégia com a vantagem no marcador, com o Lille apenas a conseguir fazer o seu primeiro remate de perigo aos 26 minutos, com Obraniak a cabecear às malhas laterais, quando apareceu ao segundo poste a corresponder ao cruzamento da direita.

Oito minutos depois, Abel apareceu novamente no corredor direito, com o seu cruzamento a encontrar a cabeça de Hélder Postiga, que coloca a bola dentro da baliza e aumenta a vantagem «verde e branca» na partida para gáudio dos cerca de 2000 adeptos «leoninos» presentes em França.

O treinador da casa não esperou mais e lançou, aos 37 minutos, a jovem estrela Hazard e, em simultâneo, trocou de lateral-esquerdo, com Emerson a substituir o infeliz Vandam.

No regresso dos balneários, o Sporting esteve muito perto do terceiro golo, com Diogo Salomão, aos 49 minutos, a roubar a bola a um adversário, e, após fintar finta outro defesa, rematou forte de pé direito muito perto do poste direito de Landreau.

Contra a corrente do jogo, o Lille conseguiu reduzir, aos 56 minutos, num lance em que Frau foi o mais lesto a chegar à defesa incompleta de Tiago a remate de Hazard de fora-da-área. A equipa da casa cresceu animicamente, com o Sporting a recuar no terreno, mas o volume de jogo e domínio territorial não teve a correspondência em lances de perigo junto de Tiago, cabendo mesmo ao recém-entrado João Pereira (79 m) a mais clara oportunidade de golo, com o seu remate a ser defendido com dificuldade por Landreau.

O Lille atacou muito nos últimos dez minutos, com o Sporting a revelar coesão e solidariedade defensiva – reforçada com a entrada dos defesas Evaldo, João Pereira e, nos descontos, Nuno André Coelho – mantendo o resultado que marca a entrada vitoriosa do Sporting na fase de grupos da competição e a primeira derrota oficial do Lille na presente temporada.


************************

Ficha de Jogo:

Lille, 1
Landreau; Debuchy, Rami, Rozenhal e Vandam (Emerson, 37 m); Mavuba (Cabaye 74 m), Balmont e Dumont (Hazard, 37 m); Gervinho, Frau e Obraniak. Suplentes não utilizados: Oukidja, Gueye, Souare e Sow. Disciplina: cartões amarelos a Rami (6 m) e Debuchy (74 m). Golo: Frau (56 m).

SPORTING; 2
Tiago; Abel, Daniel Carriço, Anderson Polga e Torsiglieri; André Santos e Zapater, Simon Vukcevic (João Pereira, 73 m), Diogo Salomão (Evaldo, 82 m), Carlos Saleiro (Nuno André Coelho, 90 m) e Hélder Postiga. Treinador: Paulo Sérgio. Suplentes não utilizados: Hildebrand, Matias Fernandez, Jaime Valdes e Yannick Djaló. Disciplina: cartões amarelos a Torsiglieri (9 m), Daniel Carriço (48 m) e Polga (84 m). Golos: Vukcevic (9 m) e Postiga (33 m)

Futebol – 1.ª jornada da Fase de Grupos da Liga Europa
16/09/2010 – Grand Stadium Metropole (Lille, França).
Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra).
Árbitros auxiliares: Michael Mullarkey e Peter Kirkup.
Resultado ao intervalo: 0-2.

FONTE: www.sporting.pt

Naval 1 - SPORTING 3 (Liga Portugal)

CONCRETIZAÇÃO EFICIENTE PARA NÃO SOFRER....MAIS TARDE




O Sporting apresentou futebol de qualidade durante os 90 minutos na Figueira da Foz, garantindo um triunfo justo (3-1). Liedson (41 m), Matias (59 m) e Yannick (69 m) foram os autores dos golos «leoninos».

A equipa «leonina» entrou em campo com grande dinâmica ofensiva, com o losango do meio campo – constituído por André Santos, no vértice inferior, Jaime Valdes, na direita, Maniche, na esquerda, e Matias Fernandez, nas costas dos avançados Liedson e Yannick Djaló – a trocar a bola rapidamente na zona central do terreno, até libertar os laterais Abel e Evaldo para os cruzamentos para a área.

Foram quinze minutos de intensa pressão «leonina», com três pontapés de canto e outros tantos remates, sendo o mais perigoso o de Yannick, aos 14 minutos, que embateu no poste direito da baliza figueirense, na sequência de um contra-ataque lançado por Rui Patrício, com a bola a chegar rapidamente a Abel, que cruzou para a cabeça do jovem atacante formado no Clube.

A Naval – que tal como se esperava apresentou-se recolhida num 4x51, deixando a Previtali a responsabilidade de ser o único avançado – equilibrou no quarto de hora seguinte, sobretudo em lances de ataque rápido, embora sem criar perigo efectivo para a baliza de Rui Patrício.

A quatro minutos do intervalo, Matias Fernandez lança Abel no corredor direito, que cruzou rasteiro para Liedson, de calcanhar, inaugurar o marcador e a sua conta pessoal de golos no campeonato 10/11. O Sporting empolgou-se e, no minuto seguinte, Matias, após um pormenor técnico só para os predestinados que sentou um adversário já dentro da área contrária, rematou forte e cruzado para defesa difícil de Salin.

De regresso dos balneários, a equipa da casa procurou discutir o jogo a todo o campo, mas o Sporting voltou a ser mais perigoso – com dois cruzamentos a que Liedson não chegou para finalizar – mesmo quando os comandados de Paulo Sérgio optaram estrategicamente por fazer mais passes entre os seus jogadores, «arrefecendo» o ritmo de jogo e colocando os figueirenses a correr atrás da bola, até acelerar novamente após descobrir os espaços no último terço do terreno contrário. Porém, foi num contra-ataque que o Sporting conseguiu uma grande penalidade, com Liedson, em situação de 3x1, a ser travado por Lúpede dentro da grande área. Matias Fernandez não teve problemas em concretizar em golo a soberana oportunidade.

Aumentada a vantagem, Zvunka lançou dois avançados, mas certamente não contava com o mau atraso de Lúpede, aos 69 minutos, que deixou Yannick Djaló isolado para marcar o terceiro da partida, num remate rasteiro para o poste mais longe da baliza de Salin.

Assente em tão confortável vantagem, Paulo Sérgio começou a gestão do plantel, ao tirar o amarelado André Santos, mais uma boa exibição, lançando o médio espanhol Zapater.

A Naval, aos 75 minutos, reduziu através de um livre lateral, com João Pedro após desvio ao segundo poste, a rematar para o fundo da baliza, mas o Sporting não «abanou» com o golo, mantendo o controlo e o domínio da partida.

João Pereira regressou à competição aos 81 minutos, por troca com Valdes, e a gestão de esforço levou Saleiro, aos 84 minutos, a substituir Liedson, com o jovem atacante «leonino» a desperdiçar duas claras oportunidades para inscrever o seu nome na lista dos marcador do encontro.

Em suma, foi uma vitória justa por parte dos «leões» assente numa boa exibição colectiva e que marca a continuidade da retoma «verde e branca» no campeonato., com ao SPorting a subir à terceira posição.


****************************
Ficha de Jogo:

Naval 1.º de Maio, 1
Romain Salin; Gomis, Lupéde, Rogério Conceição e Jonathas; Godemeche, Hauw, João Pedro,
Hugo Machado (Marinho, 60 m), Camora (Michel Simplício, 68 m); Previtali. Treinador: Victor Zvunka. Suplentes não utilizados: Jorge Baptista, José Mário, Manuel Godinho, Giuliano e Edivaldo. Disciplina: cartões amarelos para Lúpede (69 m) e Salin (69 m). Golo: João Pedro (75 m).

SPORTING: 3
Rui Patrício; Abel, Daniel Carriço, Nuno André Coelho e Evaldo; André Santos (Alberto Zapater, 73 m), Jaime Valdes (João Pereira, 81 m), Maniche e Matias Fernandez; Yannick Djaló e Liedson. Treinador: Paulo Sérgio. Suplentes não utilizados: Tiago, Anderson Polga, Simon Vukcevic, Hélder Postiga e Carlos Saleiro. Disciplina: cartões amarelos a André Santos (30 m), Maniche (51 m) e Rui Patrício (89 m). Golos: Liedson (41 m), Matias Fernandez (59 m), Yannick Djaló (69 m).

Futebol – 3.ª jornada do Nacional.
30 de Agosto de 2010 Estádio José Bento Pessoa (Figueira da Foz).
Árbitro: Elmano Santos (Madeira).
Árbitros auxiliares: Sérgio Serrão e Nélson Muniz.
Resultado ao intervalo: 0-1.

FONTE: www.sporting.pt


Brondby 0 - SPORTING 3 (Liga europa)

ASSIM VALE A PENA SOFRER ATÉ AO FIM......
SPORTING!!!!!!!!!!!!




Ao vencer o Brondby por 3-0, o Sporting cumpriu a obrigação de se manter nas competições europeias. Na Dinamarca, os «leões» deram a volta à desvantagem de dois golos trazida de Alvalade; Evaldo (ainda na primeira parte) e Nuno André Coelho estrearam-se a marcar de «leão» ao peito e Yannick Djaló, a passe de Liedson e em cima do minuto 90, evitou o prolongamento.

À procura do apuramento para a fase de grupos da Liga Europa, Paulo Sérgio fez apenas duas alterações em relação ao jogo do passado domingo, com o Marítimo (1-0); Abel substituiu João Pereira e Postiga entrou para o lugar de Zapater. Com as alterações, Liedson ficou com a companhia de Postiga, Yannick e Vukcevic faziam as alas e André Santos e Maniche fechavam o meio-campo.

Ao contrário do que se esperava, o Brondby entrou em campo decidido em resolver cedo a eliminatória, mas a turma de Paulo Sárgio tinha outras intenções; depois de dez minutos de domínio (apenas territorial) da equipa da casa, o Sporting tomou conta dos acontecimentos. Com os laterais muito em jogo, tanto a defender como a atacar, e com Maniche a fazer uma exibição «de encher o olho», os «leões» foram à procura dos dois golos necessários para empatar a eliminatória. Após duas tentativas de Maniche e de um golo (mal) anulado a Liedson, o Sporting só chegaria à vantagem em cima do intervalo, por intermédio de Evaldo que, de cabeça, respondeu da melhor maneira a um livre lateral apontado por André Santos.

No regresso das cabines, a formação «verde e branca» sabia que precisava obrigatoriamente de pelo menos mais um golo, para, no mínimo, levar o jogo para prolongamento.

E foi à procura desse golo que a turma «leonina» reentrou em campo. De fora da área, Postiga (50 m), Liedson (52 e 68 m) e André Santos (71 m) mostraram que a longa distância poderia decidir a eliminatória e Nuno André Coelho (já depois de Patrício ter feito uma defesa «do outro mundo» a um remate de Jallow) confirmou essa hipótese ao disparar uma «bomba» a cerca de 40 metros da baliza, que só parou no fundo das redes de Andersen, que ficou mal na fotografia.

Logo de seguida, e já com os dois chilenos (Matias e Valdes) em campo, o Sporting poderia ter resolvido a eliminatória, mas só em cima do último minuto, tal como acontecera na primeira parte, o Sporting garantiu a presença na fase de grupos da Liga Europa; Liedson recuperou a bola e assistiu Djaló que, só com Andersen pela frente, e com muita calma, lhe colocou a bola por cima da cabeça, fazendo o 3-0 com que os «leões» brindaram os dinamarqueses.

De realçar ainda o facto de o Sporting ter iniciado a partida com dez portugueses e as excelentes exibições de Patrício, Carriço, Evaldo, André Santos, Maniche e Liedson.

**************************

Ficha de Jogo
2.ª Mão do play-off de acesso à Liga Europa
2010-08-26 - Brondby Stadion, Dinamarca
Árbitro: Jiri Jech (República Checa)
Resultado da 1.ª mão: 2-0
Ao intervalo: 0-1

Brondby - Andersen, Wass, Bischoff, Von Schlebrugge, Rasmussen, Jensen, Nilsson, Kristiansen, Larsen, Khron-Dheli e Jallow (Bruno Batata, 78 m).
Treinador: Henrik Jensen.
Não utilizados: Tornes, Randrup, Van der Schaaf, Frederiksen, Farnerud e Peter Madsen.

Sporting - Rui Patrício, Abel, Daniel Carriço, Nuno Coelho, Evaldo, Djaló, André Santos, Maniche, Vukcevic (Valdes, 84 m), Hélder Postiga (Matias Fernandez, 67 m) e Liedson (Saleiro, 90+2 m).
Treinador: Paulo Sérgio
Não utilizados: Tiago, Polga, Grimi e Zapater.

Disciplina: cartão amarelo a Bischoff (45 m); Liedson (44 m)
Golos: Evaldo (45+1 m), Nuno André Coelho (75 m) e Yannick Djaló (90 +1 m).

FONTE: www.sporting.pt

SPORTING 1 - Maritimo 0 (Liga Portugal)

TAMBÉM TEMOS DIREITO A GRANDES PENALIDADES NO ULTIMO MINUTO......




O Sporting garantiu os primeiros pontos na liga portuguesa, com um triunfo sofrido sobre o Marítimo. Matias Fernandez serenou os ânimos, com um golo de penalty, perto do final do encontro. Paulo Sérgio promoveu a estreia de Zapater no meio campo, apostando igualmente num 4x3x3 para o jogo frente aos insulares. Maniche e André Santos fizeram companhia ao espanhol no meio campo, enquanto na frente Vukcevic e Yannick regressaram á titularidade, no apoio a Liedson. Na retaguarda, João Pereira e Evaldo ocuparam as laterais, ficando o eixo a cargo de Carriço e Nuno André Coelho.

Á semelhança dos encontros anteriores, os «leões» voltaram a ser uma equipa pressionante e agressiva sobre a bola, mas foi o Marítimo a entrar melhor no jogo de Alvalade. Aos poucos, o Sporting estabilizou em termos de confiança e foi ganhando metros com o dinamismo de Vukcevic pela direita. Foi por aí que saíram as melhores ocasiões na primeira parte, uma delas num livre directo que saiu à barra da baliza de Marcelo. Na equipa do Marítimo, que também vinha de duas derrotas, Van der Gaag escalonou a equipa em 4x2x3x1, com Marcelo Boeck a substituir na baliza o castigado Peçanha, meio campo muito preenchido, com Cherrad, Danilo Dias e Baba no apoio a Djalma.

Os insulares pouco incomodaram Rui Patrício no primeiro tempo, demonstrando que vinham a Alvalade mais preocupados em garantir um ponto. Do lado verde e branco, para além da equipa estar ainda à procura de maiores automatismos e velocidade de processos, parece-lhe faltar também um "temporizador" no miolo, para que a equipa consiga ganhar outra coesão nas transições ofensivas. Para além disto, quando a equipa parecia ter estabilizado no terreno, acabou por ficar condicionada com a lesão infeliz de João Pereira, num choque com Patrício, à beira do intervalo. Polga entrou para a lateral, mas depois foi Carriço a ocupar o lugar, derivando o brasileiro para o meio.

Na segunda parte, o Sporting entrou mais afoito e teve boas situações para se adiantar no marcador. Primeiro foi André Santos, de muito longe, a testar os reflexos de Boeck, e depois foi Liedson a desperdiçar excelente ocasião num remate que saiu à malha lateral. No entanto, a defensiva verde e branca voltou dar sinais de intranquilidade, num lance rápido de contra-ataque do Marítimo, que culminou com uma saída extemporânea de Patrício e que por pouco não deu em golo. Paulo Sérgio optou então por fazer duas alterações na estrutura (Zapater e Vukcevic por Matias Fernandez e Saleiro), quando o Sporting já procurava o golo mais com o coração do que com a cabeça. A equipa não baixou os braços e viria a alcançar o golo da vitória através de uma grande penalidade convertida por Matias Fernandez, a punir falta sobre Liedson.
***************************************

FICHA DE JOGO
Liga Zon/Sagres - 3.ª jornada
2010-08-22
Estádio José Alvalade, em Lisboa
Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal).
Árbitros assistentes: António Godinho e Paulo Ramos.
4.º árbitro: Paulo Batista.
Ao intervalo: 0-0

SPORTING - Rui Patrício; João Pereira (Polga, 44m), Carriço, Nuno André Coelho, Evaldo; André Santos, Zapater (Saleiro, 70 m), Maniche; Yannick Djaló, Vukcevic (Matias Fernandez, 71 m) e Liedson.
Treinador: Paulo Sérgio
Suplentes não utilizados: Tiago, Grimi, Diogo Salomão e Hélder Postiga
.

Marítimo - Marcelo; Ricardo Esteves, João Guilherme, Robson, Alonso; Roberto Sousa, Rafael Miranda; Cherrad (Kanu, 78 m), Danilo Dias (Tchô, 83 m), Djalma (Luciano Amaral, 61 m) e Baba.
Treinador: Van der Gaag.
Suplentes não utilizados: Marafona, Marquinho, Luís Olim e Briguel.
Disciplina: Cartão amarelo para Cherrad (28 m), Maniche (68 m), Alonso (76 m), Saleiro (77 m), João Guilherme (88 m), Kanu (90 m) e Daniel Carriço (90 m).
Golo: Matias Fernandez (89 m).

FONTE: www.sporting.pt

SPORTING 0 - Brondby 2 (Liga Europa)

MAS AFINAL O QUE É QUE SE PASSA!?!?!?!


No primeiro jogo da eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga Europa, o Sporting foi surpreendido, em casa, pelo Brondby, que derrotou os «leões» por 2-0.

Para a primeira-mão do play-off de acesso à Liga Europa, Paulo Sérgio fez apenas duas alterações relativamente ao jogo da Mata Real; André Santos voltou ao «onze», para o lugar então ocupado por Carriço, que fez dupla no eixo da defesa com Nuno André Coelho, relegando Anderson Polga para o banco de suplentes.

Desde o primeiro minuto, foi o Sporting que comandou a partida, mas a ineficácia do jogo da primeira jornada da Liga manteve-se no acesso à Liga Europa. No primeiro tempo, Maniche, Postiga, Valdes, Carriço e João Pereira podiam ter dado a vantagem à turma de Paulo Sérgio, mas acabaria por ser a equipa visitante, que muito pouco fizera até então, a chegar à vantagem já em cima do intervalo (43 m), após jogada de contra-ataque. Postiga ainda podia ter empatado antes da ida para as cabines, mas o tal desacerto de que o técnico «leonino» se queixara na conferência de imprensa de antevisão da partida, teimou em manter-se.

Para o segundo tempo, o Sporting até voltou com outra atitude; disposto a inverter os acontecimentos mas, aos 52 minutos, e depois de um remate de Kristiansen que Patrício defendeu para a frente, Jallow marcou o segundo dos dinamarqueses, gelou Alvalade e deixou a turma «verde e branca» com um pé fora da Europa.

Liedson, de pontapé de bicicleta, e Nuno André Coelho, após um dos muitos pontapés de canto de que o Sporting dispôs, remataram ao poste, mas a ineficácia manteve-se até ao final – o mesmo aconteceria ainda com os remates de Yannick, Vukcevic, Postiga e Maniche – e o Sporting ficou obrigado a marcar dois golos para, pelo menos, empatar a eliminatória.

A finalizar, uma nota para o árbitro – sem querer com isto justificar a derrota do Sporting – que não assinalou duas grandes penalidades claras (sobre João Pereira, aos 66 m, e sobre Liedson, em cima do apito final) e deixou os dinamarqueses jogar duro e, sempre que possível, perder alguns segundos.

O jogo da segunda-mão realiza-se na próxima quinta-feira, na Dinamarca.
******************************

Sporting, 0-Brondby, 2
Play-off de acesso à Liga Europa – 1.ª Mão
2010-08-19 – Estádio José Alvalade
Árbitro: Robert Schörgenhofer (Áustria)
Árbitros assistentes: Mário Strudl e Johannes Koenig
Ao intervalo: 0-1

Sporting: Rui Patrício, João Pereira, Nuno André Coelho, Carriço, Evaldo, Matias (Vukcevic, 55 m), André Santos, Maniche, Valdes (Saleiro, 75 m), Postiga (Yannick, 62 m) e Liedson.
Não utilizados: Tiago, Polga, Pongolle e Zapater.
Treinador: Paulo Sérgio

Brondby: Andersen, Wass, Bischoff, Von Schlebrugge, Rasmussen, Jensen, Nilsson (Randrup, 71 m), Kristiansen (Farnerud, 88 m), Larsen, Khron-Dheli, Jallow (Peter Madsen, 73 m).
Não utilizados: Tornes, Van der Schaaf, Frederiksen e Bruno Batata.
Treinador: Henrik Jensen
Disciplina: cartão amarelo a João Pereira (46 m), Carriço (90+2 m); Jensen (62 m)
Golos: Jan Kristiansen (43 m), Jallow (53 m).

fonte: www.sporting.pt

P. Ferreira 1 - SPORTING 0 (Liga Portugal)


QUEM FALHA.....PERDE...


No sempre difícil Estádio da Mata Real, o Sporting apresentou-se a jogar em 4x4x2, com uma surpresa: Daniel Carriço actuou no meio-campo ao lado de Maniche e Nuno André Coelho entrou na condição de titular, para jogar no centro da defesa ao lado de Polga. Ainda no meio campo, Matias Fernandez actuou na direita e Valdés (que se estreou no campeonato português) actuou à esquerda. Na primeira metade, o Sporting foi claramente superior ao adversário e, apesar de ter chegado ao intervalo com o nulo no marcador, foi sem dúvida a equipa que mais correu à procura do golo, tendo inclusivamente feito tremer a defensiva pacense quando rematou à trave, por intermédio de Hélder Postiga, à passagem do minuto 23.

No segundo tempo, Paulo Sérgio deu indicação para a equipa actuar em 4x3x3. E, quando nada fazia esperar, acabou por ser o Paços de Ferreira a inaugurar o marcador, através de Mário Rodon, aos 59 minutos. A turma da casa cresceu com o golo marcado e, em poucos minutos, voltou a criar perigo. Nuno André Coelho salvou primeiro e, depois, foi a vez de Rui Patrício fazer duas grandes defesas, impedindo que Rodon e Manuel José aumentassem a vantagem pacense.

O Sporting lutou para contrariar o cenário do jogo, mas nas várias jogadas de perigo que criou, ou não conseguiu ultrapassar Cássio, ou não teve sucesso no remate. Que o diga, por exemplo, Vukcevic que, aos 89 minutos, de livre directo fez tremer o guarda-redes adversário.

O Sporting não venceu, mas este é o primeiro jogo do campeonato e ainda há muito para trabalhar e corrigir. Na próxima jornada os «leões» recebem o Marítimo, em Alvalade. Importante será encher as bancadas de Alvalade, para apoiar a equipa na conquista dos três pontos.
**********************************
FICHA DE JOGO
Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira
Árbitro: Artur Soares Dias

P. FERREIRA: Cássio; Baiano, Samuel, Bura e Jorginho; Leonel Olímpio e André Leão; Manuel José (Pedro Queirós, 90 m), David Simão (Cohene, 80 m) e Caetano (Nuno Santos, 87 m); Mário Rondon.
Suplentes não utilizados: Coelho, Paulo Sousa, Carlitos e Lucas.
Treinador: Rui Vitória
Acção disciplinar: cartão amarelo para Samuel (69 m).
Golo: Mario Rodon (59 m)

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Nuno André Coelho, Polga e Evaldo; Matías Fernández (Carlos Saleiro, 77 m), Daniel Carriço (Yannick Djaló, 68 m), Maniche e Valdés (Vukcevic, 45 m); Postiga e Liedson.
Suplentes não utilizados: Tiago, Grimi, André Santos e Zapater.
Treinador: Paulo Sérgio
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Vukcevic (88 m).

fonte: www.sporting.pt
Golos: TVGOLO

SPORTING 2 - Nordsjaelland 1 (LIGA EUROPA)



VITÓRIA PASSAGEM......Com um susto....


O Sporting garantiu a passagem para o play-off da Liga Europa, ao vencer, em Alvalade, o Nordsjaelland, por 2-1, com golos de Postiga e Maniche. Apesar da vantagem de um golo trazida da Dinamarca, os «leões» entraram com dinâmica ofensiva e muita pressão sobre o portador da bola.

Paulo Sérgio apostou num onze com Patrício na baliza, quarteto defensivo composto por João Pereira, Daniel Carriço, Polga e Evaldo, zona intermédia com Maniche e André Santos no miolo, Valdes e Vukcevic junto aos flancos, Postiga e Liedson na frente de ataque.

O luso-brasileiro foi o primeiro a criar perigo numa jogada a meias com Postiga, mas o Nordsjaelland, que se apresentou em 4x2x3x1, apenas com Nielsen em cunha entre os centrais «leoninos», haveria de assustar, pouco depois, num remate sobre a barra da baliza de Patrício. Com Evaldo mais em jogo do que João Pereira nos minutos iniciais, a equipa verde e branca foi subindo de rendimento quase sempre através das investidas e apoio dos laterais, algo que num passado recente era quase que como uma miragem.

O Sporting "apertava" o último reduto dinamarquês, mas tinha dificuldades para entrar na área de Jesper Hansen. Vukcevic deu o mote para o que viria a seguir. O montenegrino era um dos mais activos na partida e quase marcou um golo semelhante ao alcançado na Dinamarca, porém, foi Postiga a abrir o score em Alvalade, aproveitando um ressalto de bola a remate de Liedson, que Hansen susteu a custo.

Com uma vantagem tranquila na eliminatória, o Sporting estabilizou em termos anímicos, mas sempre com os olhos postos na baliza adversária. Que o diga Postiga, que esteve perto de fazer um golo de antologia, a cinco minutos do intervalo, num remate de muito longe, defendido in extremis para canto por Hansen.

Na segunda parte, os comandados de Paulo Sérgio continuaram a controlar o jogo, pese embora a inoperância ofensiva e a falta de algumas rotinas, em determinados momentos, tenha "arrefecido" o apoio vindo das bancadas de Alvalade. Apenas em remates de longa distância (Maniche e João Pereira) o Sporting causou algum frisson junto da baliza dinamarquesa.

Sem conseguir aumentar a diferença e resolver o jogo, o treinador do «leões» trocou Vukcevic por Yannick e Valdes por Matias Fernandez, dando também alguns minutos a Pongolle (Hélder Postiga). O Sporting não esmoreceu, mas foi a turma dinamarquesa a igualar o jogo quando nada o fazia prever. Uma distracção defensiva permitiu o golo a Lawan e deixou a equipa «leonina» bastante ansiosa até ao final do encontro, tendo sido já no período de descontos que Maniche sentenciou a eliminatória, após assistência de Evaldo.


*******************************************
Liga Europa - terceira pré-eliminatória
2010-08-05
Estádio José Alvalade, em Lisboa
Árbitro: Marijo Strahonja (Croácia).
Árbitros assistentes: Igor Krmar e Miro Grgic.
4.º árbitro: Drazenko Kovacic.
Ao intervalo: 1-0

SPORTING - Rui Patrício, João Pereira, Carriço, Polga (cap.), Evaldo, André Santos, Maniche, Simon Vukcevic (Yannick Djaló, 61 m), Valdes (Matias Fernandez, 71 m), Hélder Postiga (Pongolle, 76 m) e Liedson.
Treinador: Paulo Sérgio.
Suplentes não utilizados: Tiago, Saleiro, Grimi, e Nuno André Coelho.



NORDSJAELLAND - Hansen, Kildentoft, Parkhurst, Jensen, Bengtsson, Stokholm (cap.), Bernier (Matti Nielsen, 67 m), Enoch Adu, Mikkelsen (Andreas Granskov, 84 m), Andreas Laudrup (Rawez Lawan, 63 m) e Nicki Nielsen.
Treinador: Morten Wieghorst.
Suplentes não utilizados: David Jensen, Fetai, Christensen e Gundelach.
Disciplina: Cartão amarelo para Enoch Adu (15 m) e Liedson (52 m).
Golos: Hélder Postiga (24 m), Rawez Lawan (80 m) e Maniche (90 m).

fonte: http://www.sporting.pt/

(Clicar aqui para ver os golos)

Liga Europa: Nordsjaelland 0 - SPORTING 1

ENTRAR A GANHAR!!!!!



O Sporting já está em acção, a jogar em 4x4x2, tendo vencido tranquilamente o seu primeiro jogo oficial na temporada 2010/11, frente à turma do FC Nordsjaelland (Dinamarca).

Na primeira-mão da terceira pré-eliminatória da Liga Europa os «leões» mostraram desde cedo porque razão entraram na partida como favoritos. Rui Patrício, foi a primeiro jogador a ser colocado à prova, logo no primeiro minuto, mas o guarda-redes superou o teste com grande nobreza, impedindo que Andreas Laudrup marcasse pela turma dinamarquesa. A partir daí, o Sporting foi quem mais procurou chegar ao golo, tendo conseguido inaugurar o marcador, à passagem do minuto 24, por Vukcevic (o mesmo que já tinha obrigado Jesper Hansen a defender com dificuldade, aos 7 e 21 minutos). No lance do golo, Maniche conseguiu recuperar a bola no centro do terreno e fez o passe perfeito para Vukcevic marcar. Entretanto, Pedro Mendes lesionou-se, aos 43 minutos e apesar de ainda ter entrado em campo, o jogador não se sentiu bem para entrar na segunda parte do jogo, acabando por ser substituído por Miguel Veloso, aos 46 minutos.

Mesmo assim, o Sporting comandou a primeira parte e chegou ao intervalo com a vantagem no marcador (1-0).

No segundo tempo, Hélder Postiga, aos 57 e 58 minutos, teve perto de aumentar a vantagem «leonina», fazendo tremer Jesper Hansen. Depois, mais uma vez Postiga, aos 75 minutos, voltou a criar perigo, mas viu a bola a bater caprichosamente no poste da baliza dinamarquesa. Nos minutos finais, os «leões» continuaram a causar muitas dificuldades à defensiva do Nordsjaelland, mas não conseguiram aumentar a vantagem.

Conclusão: o Sporting fez o golo a meio da primeira parte e, depois, foi muito inteligente em gerir o resultado, a controlar bem o jogo e a resolver com eficácia os poucos problemas que teve pela frente. A vitória foi totalmente merecida. A segunda-mão será realizada no próximo dia 5 de Agosto, em Alvalade, onde se espera casa cheia a apoiar os «leões».
*******************

Ficha de jogo
Liga Europa - 3.ª pré-eliminatória (1.ª mão)
Estádio Farun Park
Árbitro: Stanislav Sukhina.
NORDSJAELLAND: Jesper Hansen; Henrik Kildentoft, Michael Parkhurst, David Jensen, Pierre Bengtsson; Nikolaj Stokholm (cap.), Enoch Adu; Bajram Fetai (Tobias Mikkelsen, 72 m); Matti Nielsen (Bernier, 66 m) Andreas Laudrup (Andreas Granskov, 82 m); Nicki Nielsen.
Treinador: Morten Wieghorst
Suplentes não utilizados: Nenad Novakovic, Soren Christensen, Mikkel Knudstrup e Philip Rasmussen.
Acção disciplinar: cartão amarelo para Bajram Fetai (29 m),
SPORTING – Rui Patrício, João Pereira, Anderson Polga, Daniel Carriço (cap.), Evaldo, Simon Vukcevic (Jaime Valdes, 69 m), Maniche, Pedro Mendes (Miguel Veloso, 46 m), Yannick Djaló (Liedson, 80 m); Carlos Saleiro, Hélder Postiga.
Treinador: Paulo Sérgio.
Suplentes não utilizados: Tiago, Nuno André Coelho, Sinama Pongolle e Matías Fernandez.
Golo: Vukcevic (24 m).

WWW.SPORTING.PT

MENSAGEM DO PRESIDENTE DO SPORTING CLUBE DE PORTUGAL




Caros Sportinguistas

É com esperança renovada e uma convicta sensação de que estamos no caminho certo que vos escrevo a poucos dias do pontapé de saída oficial da nova temporada futebolística.

Sou o primeiro a reconhecer que os resultados alcançados pela equipa de futebol profissional, na época passada, podem ter criado alguma desconfiança nos vossos espíritos. Mas sou, igualmente, o primeiro a garantir-vos que essa angústia será superada pelos êxitos que tanto desejamos. Os primeiros ecos desse trabalho, julgo eu, estão já à vista. Em conjunto com o director Francisco Costa e com o treinador Paulo Sérgio, temos vindo a criar bases para um futuro que se quer de vitórias e de muitas alegrias para o nosso centenário Sporting. Terminámos uma tournée aos Estados Unidos da América que marcou o regresso do Sporting aos grandes jogos de pré época com um saldo bastante positivo, enchendo de orgulho os nossos emigrantes naquele país.

Muitas vozes têm vindo a público criticar a nossa linha de orientação. Muitas opiniões têm sido emitidas a duvidar da nossa eficácia. Muitas notícias têm criado dúvidas em redor do nosso projecto. A vocês, caros consócios, apenas peço que acreditem naqueles que dirigem e que não dêem ouvidos a quem (só) gosta de protagonismo, nem que para isso tenha de falar do que não sabe...

O Sporting está a mudar. E isso, isso, sim, perturba muito boa gente... Mas em sintonia, longe dos fóruns que tantas e tantas vezes tentam intoxicar a opinião pública, tomamos as decisões que julgamos acertadas em prol de um Sporting mais forte e mais ganhador. Um Sporting que precisa de todos nós e que só fará sentido se, todos juntos, gritarmos bem alto que este é e será sempre «o nosso grande amor!»

Como vos disse, faltam poucas horas para o arranque oficial da época. Será na Dinamarca, em jogo que nos poderá abrir caminho para a Liga Europa. E é por um Sporting cada vez mais global, diria mesmo mais universal, que me empenho, que me dedico e que luto a cada dia. Conto convosco.

Viva o Sporting!

José Eduardo Bettencourt

Torneio NY: Sporting 2 - Tottenham 2




SPORTING CONQUISTA TROFEU NY


O Sporting empatou (2-2) com o Tottenham, no seu último encontro nos Estados Unidos da América. Os dois golos do Sporting, um em cada parte, foram marcados pelos dois chilenos que actuam em Alvalade. Matias, primeiro, de cabeça, e Valdes, de pé esquerdo.


Com um «onze» totalmente diferente daquele que defrontou o Manchester City, na primeira jornada do New York Football Challenge, o Sporting entrou em campo à procura da vitória no jogo e no torneio norte-americano.

Tal como acontecera no encontro com o City, foi a equipa inglesa que primeiro criou perigo, mas os «leões» rapidamente reagiram, pressionando o Tottenham logo à saída da sua área – só Salomão roubou três bolas nos primeiros minutos. Dessa forma, e num desses lances, o Sporting podia ter marcado o primeiro; Liedson rematou para a primeira grande defesa de Cudicini e na recarga, já depois de Valdes ter rematado contra um defesa inglês, Matias acertou na barra.
O Sporting mandava no jogo, enquanto que o Tottenham esperava o erro «leonino» para rapidamente sair para o ataque. Aos 24 minutos, Kranjcar isolou Robbie Keane que, somente com Patrício pela frente não teve dificuldades em colocar os «spurs» em vantagem.
A turma de Paulo Sérgio não sentiu o golo e, no minuto seguinte, Valdes recuperou a bola no meio-campo contrário e entregou-a a Diogo Salomão que, de trivela, cruzou para a cabeça de Matias Fernandez que, com um «golpe» magnifico, colocou a bola no poste mais distante, repondo a justiça no marcador.



Até ao intervalo, a equipa inglesa conseguiu equilibrar os acontecimentos, mas foi o Sporting que esteve mais perto do golo.

No segundo tempo, os «leões» entraram bem e, logo ao terceiro minuto, Jaime Valdes pegou na bola, ultrapassou um adversário (com direito a túnel) e, ainda de fora da área, rematou cruzado, e de pé esquerdo, fazendo a bola entrar no ângulo inferior esquerdo da baliza inglesa.
Em vantagem no marcador pela primeira vez no encontro, os «leões» baixaram o ritmo e deixaram de pressionar como tinham feito nos primeiros 45 minutos e, na sequência de um passe errado no meio-campo defensivo, Robbie Keane isolou Obika (quando este estava em posição irregular) que fez o empate com que o jogo chegaria ao final. Ainda antes dos noventa minutos, João Pereira foi carregado em falta dentro da área, mas o árbitro nada assinalou.


***************************************

Tottenham, 2-Sporting, 2
2010-07-25 – Red Bull Arena, New Jersey (Estados Unidos da América)
Árbitro: Steven Depiero (EUA)
Resultado ao intervalo: 1-1
Tottenham: Cudicini (Button, 46 m), Hutton, Walker, Corluka, Naughton (Rose, 64 m), Kranjcar (Townsend, 68 m), Huddlestone, Jenas, Bale, Taarabt (Obika, 61 m) e Keane
Treinador:Harry Redknapp
Não utilizados: Smith, Butcher e Mason.
SPORTING: Rui Patrício, Abel (João Pereira, 76 m), Nuno André Coelho, Torsiglieri, Grimi (Evaldo, 76 m), André Santos (Pedro Mendes, 76 m), Miguel Veloso (Maniche, 64 m), Salomão (Pongolle, 46 m (Saleiro, 84 m)), Matias, Valdes e Liedson (capitão) (Djaló, 76 m).
Treinador: Paulo Sérgio
Não utilizados: Golas, Tonel e Carriço.
Disciplina: cartão amarelo a Liedson (39 m) e a João Pereira (86 m).
Golos: Robbie Keane (24 m), Obika (70 m); Matias Fernandez (25 m) e Valdes (48 m).

*************************


A equipa do Sporting, treinada por Paulo Sérgio, conquistou o New York Football Challenge, depois de vencer o Manchester City (2-0) e de empatar com o Tottenham (2-2).
Após o empate frente aos «spurs», o Sporting estava em boa posição para conquistar o troféu mas, matematicamente, as equipas do New York Red Bull e do Manchester City ainda tinham hipóteses de o conquistar, pois, além dos pontos relativos às vitórias e empates, somar-se-iam ainda os relativos aos golos (um ponto por cada remate certeiro).
Com a vitória da equipa da casa por 2-1 frente ao Manchester City, os «leões» garantiram a conquista do troféu, com oito pontos - os mesmos que o Tottenham, mas com melhor diferença de golos.

Com a vitória no New York Challenge, o Sporting terminou a digressão aos Estados Unidos onde, além destes dois encontros, empatou (1-1) com o Cetlic Glasgow.
Classificação final
1.º Sporting 8 pontos
2.º Tottenham 8
3.º NY Red Bull 6
4.º Man. City 1

Resultados:
NY Red Bull, 1-Tottenham, 2
Manchester City, 0-Sporting, 2
Tottenham, 2-Sporting, 2
NY Red Bull, 2-Manchester City, 1
FONTE: www.sporting.pt

http://www.tvgolo.com/futebol.php?subaction=showfull&id=1280087042&archive=&start_from=&ucat=02&

NY Football Chalange: ManCity 0 x SPORTING 2


ASSIM TEMOS EQUIPA!!!


No primeiro jogo no New York Football Challenge, o Sporting venceu o Manchester City, por 2-0, com Yannick Djaló a marcar os dois golos dos «leões» ainda na primeira parte.

Para defrontar os «citizens», que ainda não contaram com grande parte das suas «vedetas», o Sporting de Paulo Sérgio dominou os noventa minutos, alicerçando ao resultado uma excelente exibição que deixa boas garantias para o encontro da pré-eliminatória da Liga Europa, frente ao Nordsjaelland.

Curiosamente e ao contrário do que viria a suceder ao longo da partida, foi a turma inglesa que primeiro criou perigo quando, aos dois minutos, Bellamy apareceu isolado, obrigando Tiago à primeira, e última (grande) intervenção da noite.

A partir de então, só deu Sporting - que actuava em 4x4x2, com Pedro Mendes e Maniche, no «miolo» e Saleiro e Postiga na frente, apoiados por Djaló (na esquerda) e Vukcevic (na direita) - e as oportunidades de golo começaram a surgir. Aos 22 minutos, João Pereira lançou Vukcevic na linha de fundo que, depois de «puxar» para o pé esquerdo, cruzou para a cabeça de Djaló que, entre os centrais, cabeceou para o primeiro golo do encontro.

Esperava-se uma reacção da formação inglesa, mas foi o Sporting que continuou a controlar os acontecimentos e, aos 39 minutos, e já depois de Vukcevic (29 e 31 m) e de Djaló (36 m) - com um remate espectacular que só não deu golo porque embateu num defesa - terem tentado o 2-0, foi mesmo o jogador formado em Alvalade quem voltaria a marcar: Saleiro, com uma assistência magistral, isolou Yannick Djaló que, depois de ultrapassar Joe Hart, só teve de encostar para a baliza deserta.

Já no segundo tempo, o Sporting continuou «dono e senhor» da partida, mas a bola não voltaria a entrar na baliza do City, apesar de diversas tentativas dos atacantes «leoninos».

A formação «verde e branca» mostrou evolução e, à medida que o tempo passa, maior entrosamento e a capacidade física; foi impressionante a forma como o Sporting anulou quase todos os movimentos ofensivos da equipa inglesa, conseguindo uma justa vitória e uma excelente exibição.

Maniche e Pedro Mendes mandaram no meio-campo; Evaldo e João Pereira mostraram-se muito empenhados também a atacar; Saleiro e Postiga entendem-se bem, tal como o lateral-direito e Vukcevic, que também esteve a grande nível. Carriço foi o «patrão» na defesa e Polga cumpriu, enquanto que Djaló, autor de dois golos, foi o homem do jogo.

Pongolle, Valdes, André Santos e Veloso, que foram entrando ao longo do segundo tempo, mostraram pormenores e ajudaram o Sporting a controlar a partida.

Com este resultado, o Sporting ascendeu ao primeiro lugar do New York Fottball Challenge, em igualdade pontual com o Tottenham - adversário dos «leões» no domingo (18h00). Ambas as equipas somam cinco pontos, mercê de uma vitória e de dois golos marcados.


*********************************
Manchester City, 0-Sporting, 2
Torneio New York Football Challenge
2010-07-23 - Red Bull Arena, Nova Iorque (Estados Unidos da América)
Árbitro: Kevin Scott (EUA)
Árbitros assistentes: Corey Rockwell e Corey Parker Resultado ao intervalo: 0-2 Manchester City: Joe Hart, Richards, Kompany, Zabaleta, Lescott (Onuoha, 46 m), Cunningham, Ireland (Nimely, 64 m), Patrick Vieira (Boyata, 64 m), Adam Johnson, Bellamy (Tutte, 73 m) e Jô (Guidetti, 73 m).
Treinador: Roberto Mancini
Não utilizados: Taylor e Wayne Bridge
SPORTING: Tiago, João Pereira, Carriço (capitão), Polga, Evaldo, Yannick, Pedro Mendes (André Santos, 87 m), Maniche, Vukcevic (Valdes, 73 m), Postiga (Veloso, 78 m) e Saleiro (Pongolle, 46 m).
Treinador: Paulo Sérgio
Não utilizados: Rui Patrício, Nuno André Coelho e Liedson.

Disciplina: cartão amarelo a Carriço (43 m)
Golos: Yannick Djaló (22 e 39 m)

Jogo particular: Celtic 1 x SPORTING 1 (6-5 nos penalties)

POSITIVO: atitude, crescimento, temos equipa este ano!!


O jogo entre o Sporting e o Celtic terminou empatado a uma bola, sendo necessário recorrer às grandes penalidades para desempatar a partida. No primeiro encontro da digressão aos Estados Unidos, o Sporting defrontou o Celtic Glasgow. A partida terminou empatada a um golo, tendo sido desempatada através da marcação de grandes penalidades.



Os «leões» realizaram uma excelente primeira parte, mostrando terem assimilado os processos idealizados por Paulo Sérgio. O treinador, na etapa inicial, optou por utilizar o esquema táctico de 4x2x3x1, fazendo alinhar o seguinte onze: Rui Patrício, Abel, Tonel, Torsiglieri, Grimi, Pedro Mendes, Miguel Veloso, Vukcevic, Matias Fernandez, Valdés e Saleiro. Miguel Veloso, à passagem do minuto 15, e Carlos Saleiro, já no final da primeira parte, poderiam ter marcado para o Sporting, mas tal não se verificou, chegando a partida ao intervalo com um nulo no marcador. Na etapa regulamentar, Paulo Sérgio mudou por completo a equipa. O técnico optou por jogar no clássico 4x4x2, com Vítor Golas, João Pereira, Nuno André Coelho, Polga, Evaldo, Diogo Salomão, André Santos, Maniche, Pongolle, Postiga e Liedson.



O Sporting não esteve ao mesmo nível do primeiro tempo e fruto disso o adversário dispôs de duas ocasiões de golo, que só não foram concretizadas devido às intervenções de Vítor Golas e de Nuno André Coelho. O Celtic, no entanto, acabaria por chegar ao golo, através de uma grande penalidade convertida por Samaras (72 m).



O Sporting não se conformou com o resultado e partiu em busca do empate, que surgiu aos 81 minutos, por intermédio de Postiga, que quase bisou antes do final do encontro. Com o empate a uma bola, a partida foi decidida através da marcação de grandes penalidades. O adversário da equipa «verde e branca» não falhou nenhuma, enquanto que pelos «leões» Liedson não conseguiu converter o último penaltie. Como balanço, há a realçar a excelente exibição realizada pelos comandados de Paulo Sérgio nos primeiros 45 minutos de jogo, altura em que os «leões» praticaram um bom futebol, mostraram dinâmica e entrosamento.



Jogo Apresentação: SPORTING 2 x Lyon 0


MORALIZADOR




O Sporting apresentou-se aos seus adeptos com uma vitória sobre o Lyon (2-0), numa partida em que os dois sistemas (4x3x3 e 4x4x2) revelaram-se oleados. Tonel (2 m) e Yannick (71m) marcaram pelo «Leão».



Paulo Sérgio escolheu o 4x3x3 como sistema – com o triângulo invertido do meio campo com Pedro Mendes no vértice defensivo e Maniche e Miguel Veloso como interiores, à frente do quarteto defensivo composto por Abel, Tonel, Torsiglieri e Grimi – na partida de apresentação aos associados «leoninos».



Tonel inaugurou o marcador logo aos dois minutos, num cabeceamento ao primeiro poste na sequência de um livre lateral e Sinama-Pongolle, aos 10 minutos, foi travado em falta dentro da área, com o internacional francês a ser o avançado-centro de um tridente que teve Jaime Valdes, depois Yannick aos 35 minutos, e Vukcevic, encostados às alas procurando as diagonais com os seus pés fortes (o chileno no corredor esquerdo e o montenegrino na direita), que procurou a velocidade e o 1x1 para chegar à baliza adversária.



O Lyon subiu no relvado e Victor Golas (12m), com duas boas defesas no mesmo lance, Torsiglieri (14 m), a cortar uma bola sobre a linha de golo, e Abel, a desviar a bola de uma avançado após grande defesa de Tiago, a evitarem o golo do empate. Faltou um pouco a bola ao meio-campo «verde e branco» durante a primeira parte, o que levou a que apenas aos 39 minutos voltasse a criar perigo, num remate de primeira de Maniche (um dos destaques individuais da partida) superiormente defendida pelo guarda-redes francês.


Na segunda parte, Paulo Sérgio trocou a defesa e o «trinco», e, aos 60 minutos, mais três alterações foram efectuadas que deixaram a equipa a jogar em 4x4x2, com os atletas dentro de campo a responderem afirmativamente, não deixando mais o Lyon chegar à área «leonina». De facto, depois das boas indicações do 4x3x3, o 4x4x2 trouxe maior capacidade de recuperação de bola ao meio-campo, e foi numa dessas acções que surgiu o segundo golo, com Diogo Salomão a «roubar o esférico a um adversário e, depois de o conduzir em velocidade, serviu Yannick que, à segunda, fechou o marcador.


Até ao final, só deu Sporting, com Saleiro, Postiga, Liedson e Salomão a disporem de oportunidades para marcar, num dia em que os sportinguistas que se deslocaram a Alvalade a regressarem a casa moralizados com a exibição «leonina».



*************************************


FUTEBOL – Jogo de apresentação
2010-07-18 Estádio José Alvalade
Árbitro: João Capela
Árbitros auxiliares: Hugo Guerreiro e Manuel Santos
Resultado ao intervalo: 1-0
.



SPORTING, 2
Victor Golas (Tiago, 30m) (Rui Patrício, 60); Abel (João Pereira, 45m), Tonel (Nuno André Coelho, 45m), Torsiglieri (Polga, 45m) e Grimi (Evaldo, 45m); Pedro Mendes (André Santos, 45m), Maniche (André Martins, 83 m) e Miguel Veloso (Matias Fernandes, 30m) (Hélder Postiga, 60 m); Jaime Valdes (Yannick Djaló, 35 m), Sinama-Pongolle (Carlos Saleiro, 45 m) (Liedson, 86 m) e Vukcevic (Diogo Salomão, 60m). Disciplina: nada a assinalar. Golos: Tonel (2) e Yannick (71m)



LYON: 0
Vercoutre; Abenzouar, Boumsong (Said Mehamah, 65 m), Lovren e Cissokho (Samuel Umtiti, 79m); Pjanic (Jeremy Pied, 65m), Gonalons (Puel, 74 m) e Ederson (Rachid Ghezzal, 74 m) César Delgado (Nicolas Seguin, 65m) Gomis (Kim Kallstrom, 45 m) (Beraldo, 90m)e Jimmy Briand. Treinador: Claude Puel. Disciplina: nada a assinalar.



Fonte: http://www.sporting.pt/

http://www.tvgolo.com/futebol.php?subaction=showfull&id=1279491464&archive=&start_from=&ucat=02&


JOGO PREPARACAO: Nice 1 x SPORTING 1



O Sporting empatou a uma bola com o Nice, no segundo jogo do estágio de pré-temporada em França. Os «leões» estiveram a perder na primeira parte, após um penalty transformado por Remy, mas Sinama Pongolle igualou no segundo tempo, também de grande penalidade. Paulo Sérgio apostou inicialmente numa equipa muito jovem, e num sistema táctico (4x3x3) bem diferente do utilizado diante do Young Boys que apenas teve um repetente, o médio André Santos. Desta vez, Tiago foi o escolhido para a baliza, Tonel e Torsiglieri formaram dupla no eixo defensivo, Abel e Grimi completaram as laterais. Nuno André Coelho voltou a ser utilizado como médio mais defensivo, formando um tridente com André Martins e André Santos mais descaídos para os flancos. Na linha da frente, Simon Vukcevic e Pongolle foram os apoios do jovem ganês William Owuso.


O Sporting até entrou muito pressionante sobre o portador da bola, mas viria a sofrer um golo de penalty, após falta de Torsiglieri na grande área «leonina», que condicionou a postura da equipa. Os «leões» tinham mais bola mas revelaram pouca profundidade em termos ofensivos na primeira parte, conseguindo criar apenas uma situação de golo, na sequência de um livre de André Martins, ao qual Owuso não conseguiu corresponder.

No segundo tempo, o Nice entrou mais fresco no jogo (em virtude de ter procedido a várias alterações) e foi criando algumas situações de apuro para baliza verde e branca. Paulo Sérgio decidiu então mexer na equipa, colocando um conjunto mais experiente em campo e os «leões» começaram a pegar no jogo com outra serenidade. O Sporting viria a chegar ao empate, também na conversão de uma grande penalidade (mão de Cid na área) que Pongolle transformou na perfeição. A dez minutos do fim, o chileno Valdes estreou-se com a camisola do Sporting, mas foi o jovem Diogo Salomão a evidenciar-se novamente, tal como já tinha acontecido frente ao Young Boys. O Sporting voltará a entrar em acção na próxima quarta-feira, frente à equipa francesa do Paris Saint Germain.


***********************
Jogo particular Estádio Municipal de Chambery (França)2010-07-11

Nice - Ospina (Letizi, 45 m); Civelli, Ismael Gace (Cantarelli, 45 m), Paisley (Diakité, 45 m) e Sablé (Cid, 45 m); Remy (Ben Saada, 45 m), Hellebuyck (Pote, 45 m), Coulibaly e Mournier (Mouloungui, 45 m); Mamadou Bagayoko e Bamogo (Quansah, 45 m). Treinador: Eric Roy.

SPORTING - Tiago; Abel (João Pereira, 72 m), Tonel, Torsiglieri e Grimi (Evaldo, 72 m); André Santos (Maniche, 61 m), Nuno André Coelho (Diogo Salomão, 36 m) e André Martins (Daniel Carriço, 62 m), Vukcevic (Yannick Djaló, 45 m), Pongolle (Jaime Valdes, 82 m) e Owuso (Hélder Postiga, 45 m). Treinador: Paulo Sérgio

Disciplina: Cartão vermelho para Pote (60 m) Golos: Remy (14 m, g.p.) e Sinama Pongolle (72 m, g.p.)

JOGO PREPARAÇÃO : Young Boys 0 x SPORTING 1


BOAS INDICAÇÕES PARA 2010-2011

 

O Sporting venceu o Young Boys, da primeira divisão suíça, por 1-0, com o golo a ser marcado por Carlos Saleiro. Os «leões» deram boas indicações neste primeiro teste do estágio em terras francesas, frente a um adversário mais exigente, principalmente... Yannick Djaló.

 

Paulo Sérgio testou a equipa em 4x4x2, com o jovem brasileiro Golas na baliza, João Pereira e Evaldo nas laterais, Polga e Carriço no eixo defensivo. Uma linha de quatro unidades no meio-campo com André Santos e Maniche na zona central, Yannick Djaló e o jovem Diogo Salomão - ambos deixaram aboa imagem com repentismo e capacidade de explosão - a ocuparem os flancos e uma dupla atacante composta por Postiga e Saleiro.

O Sporting surgiu muito rematador nos primeiros minutos, privilegiando diversas jogadas pelo corredor direito onde aparecia quase sempre solto Yannick Djaló.

 

 Apesar da falta de algumas rotinas colectivas, normais neste jogos de pré-temporada, a equipa já apresentou boa agressividade e segurança de passe, mais evidenciada nas transições defensivas. Carlos Saleiro abriu o activo para os «leões», aos 27 minutos, num remate em rotação, após grande iniciativa individual de Yannick Djaló pelo lado direito. O camisola 20 foi o dínamo dos «leões» na primeira parte, mexendo com o jogo em termos de criatividade e construção ofensiva. Em boa forma física, Yannick Djaló, parece estar com a corda toda nesta pré-época.

 

No segundo tempo os «leões» voltaram a entrar determinados na partida, e a dupla atacante revelou bom entendimento num lance em que Postiga tentou, sem sucesso, surpreender o guarda redes Burki. Paulo Sérgio decidiu então fazer algumas alterações, pouco tempo depois dessa oportunidade para os «leões», colocando Vukcevic (Saleiro), Pongolle (Postiga) e Nuno André Coelho (Diogo Salomão). O jovem defesa-central actuou, desta feita, como trinco, dando maior liberdade nas transições a André Santos e Maniche, algo que foi sendo mais visível quanto o Sporting partia para a contra-ofensiva. A um quarto de hora do fim, Maniche atirou de cabeça à barra da baliza do Young Boys, com mais uma assistência do endiabrado Yannick, deixando a ideia que os «leões» podiam ter construído um resultado mais dilatado.

 

*****************************************************

Jogo particular
Estádio de Bouleyres, em Bulle (Suíça).
2010-07-09

Young Boys: Roman Burki; Scott Sutter, François Affolter, Adriano De Pierro; Henri Bienvenu (Dario Dussin, 80 m), David Degen, Moreno Costanzo (Alexandre Pasche, 85 m), Thierry Doubai (Pascal Doubai, 85 m); Alberto Regazzoni (Marco Schneuwly, 71 m), Mario Raimondi (Christian Schneuwly, 64 m), Emmanuel Mayuka (Hochstrasser, 64 m).
Treinador: Vladimir Petkovic

Sporting: Victor Golas; João Pereira, Daniel Carriço, Anderson Polga e Evaldo; Yannick, André Santos, Maniche e Diogo Salomão (Nuno André Coelho, 58 m), Carlos Saleiro (Simon Vukcevic, 58 m (Grimi, 86 m) e Hélder Postiga (Pongolle, 58 m).
Treinador: Paulo Sérgio

Disciplina: nada a assinalar.
Golo: Carlos Saleiro (27 m)

.

fonte: www.sporting.pt

SPORTING!!!!! FACTOS INDESMENTIVEIS!!!!


SPORTING CLUBE DE PORTUGAL - FACTOS INDESMENTÍVEIS -

1. O SPORTING é o único Clube no Mundo que, neste momento, tem dois Museus oficiais, um em Lisboa, outro em Leiria. Em Portugal, actualmente, mais nenhum clube tem Museu e alguns nem sala de troféus têm.

2. O primeiro futebolista português a jogar numa selecção da Europa foi José Travassos (o saudoso «Zé da Europa») em 13 de Agosto de 1955, quando a selecção da Europa ganhou à Grã-Bretanha, por 4-1.

3. O SPORTING é, neste momento, o Clube da Europa com mais troféus no seu eclectismo. Tem 20.000 troféus, todos catalogados, arrumados e devidamente estruturados.

4. O jornal SPORTING, denominado, nos primeiros anos, «Boletim do Sporting» (primeiro número datado de 31 de Março de 1922) e que, na altura, saía quinzenalmente, é o jornal mais antigo de todos os clubes do Mundo.

5. O SPORTING é, actualmente, o único Clube do Mundo que se pode orgulhar de ter dois futebolistas formados no Clube e eleitos melhores do Mundo pela FIFA: Luís Figo e Cristiano Ronaldo.

6. O SPORTING, o Real Madrid e o Barcelona são os clubes da Europa com mais participações nas Taças Europeias de futebol. Os «leões» apenas por uma vez falharam a presença nas competições internacionais.

7. O Barcelona tem, actualmente, 41 títulos europeus em todas as modalidades, o Real Madrid tem 23 e, o SPORTING, tem 22. O SPORTING tem 15 títulos em atletismo, 5 em hóquei em patins, 1 em futebol e 1 em andebol.

8. Em qualquer dos títulos europeus conquistados o SPORTING ainda hoje tem recordes vigentes. No atletismo, o SPORTING tem 3 feitos notáveis: é o único clube europeu que, até ao momento, ganhou a Taça dos Campeões Europeus de Pista e a Taça dos Campeões Europeus de Crosse. O SPORTING ganhou, por 2 vezes, 6 Taças dos Campeões de Crosse (Corta-Mato) consecutivas; é o Clube com mais títulos europeus na modalidade de atletismo: 14 de crosse e um de pista. No hóquei em patins, tem 2 feitos ainda vigentes: o SPORTING é, neste momento, o único clube na Europa que ganhou as 3 competições europeias: 1 Taça do Campeões Europeus, 3 Taças das Taças e 1 Taça CERS. O SPORTING possui ainda o recorde de goleadas nas taças europeias: 33-1 ao H. Gujan, de França, nos quartos-de-final da Taça CERS de 1983/84, que os «leões» haveriam de conquistar frente ao Voltregá. No futebol, o SPORTING tem ainda 2 recordes vigentes: a maior goleada de sempre nas competições europeias (16-1 ao Apoel); o recorde de golos num só jogo – 6 – de Mascarenhas, também no encontro da Taça das Taças de 1963/64, frente ao Apoel de Chipre.

9. O SPORTING é o Clube da Europa que tem mais atletas com títulos de Campeão Europeu, Campeão Mundial e medalhados em Jogos Olímpicos. A seguir ao Barcelona, o SPORTING é o Clube europeu com mais atletas olímpicos: 109 atletas.

10. A Academia SPORTING é a melhor Academia de futebol do Mundo, seguindo-se a Academia do Ol. de Lyon e a do Ajax de Amesterdão

CALENDÁRIO PRÉ-ÉPOCA SPORTING


21 de Junho
Início dos trabalhos na Academia Sporting/Puma;


26 de Junho
Sporting-1.º Maio Sarilhense;


***********


2 de Julho
Sporting-Mafra;

5 de Julho
Partida para Evian-les-Bains;

9 de Julho
Sporting-Neuchatel (Lausanne);

11 de Julho
Sporting-Nice (Evian);

14 de Julho
Sporting-Paris Saint-Germain (Annecy);

18 de Julho
1.º jogo no Estádio José Alvalade – Sporting-Ol. Lyon (Estádio José Alvalade);

19 de Julho
Partida para os Estados Unidos;

21 de Julho
Sporting-Celtic de Glasgow (Boston);

23 de Julho
Sporting-Manchester City (New York Challenge);

25 de Julho
Sporting-Tottenham (New York Challenge).

ANDEBOL: SPORTING CONQUISTA TAÇA CHALLENGE




Sporting conquista Taça Challenge e faz história

O Sporting fez história ao vencer a Taça Challenge, perante o MMTS Kwindzyn, por 27-26. O encontro foi realizado no Pavilhão Municipal de Almada e muitos, mas muitos adeptos e sócios sportinguistas se uniram para ir apoiar os «leões». Foi uma maré de verde e branco, de cânticos, de puxar pela equipa. Foi, de facto, uma tarde histórica para todos os que viram ao vivo e a cores o Sporting vencer este troféu.

Quanto ao jogo, que até aos 7 minutos até foi equilibrado, a partir daí, muito se viu do Sporting que, aos 24 minutos conseguia alcançar uma diferença de oito golos (14-6). Na primeira parte, pode ainda destacar-se a prestação de Humberto Gomes que, enquanto os seus companheiros adiantavam o marcador, ele, na sua baliza, impedia, por muitas vezes que os polacos recuperassem terreno. O intervalo veio e os «leões» venciam por 16-9.

No segundo tempo, os polacos entraram mais fortes no jogo e ganharam confiança perante algumas bolas que batiam na trave e até pelos livres de sete metros que os «leões» não conseguiram concretizar. Mesmo assim, verdade seja dita, nunca o Sporting deixou de perder o controlo da situação, até porque nunca os polacos conseguiram passar para a frente do marcador durante quase todo o jogo (só o conseguiram aos seis minutos da primeira parte). A 3 minutos do fim, a diferença era mínima (um golo). O Sporting vencia por 25-24. Mas João Pinto fez o 26.º e, para terminar a festa, Bruno Moreira (que tanto tempo esteve sem poder competir) conseguiu, de livre de sete metros, fazer o 27.º golo «leonino». O MMTS ainda reduziu, mas o jogo terminou com o Sporting a gritar "Campeões"! A vitória foi justíssima. Os sportinguistas podem orgulhar-se dos seus «leões».

Fonte: http://www.sporting.pt/

Nucleo Sportinguista Espinho visita NSM

É sempre um prazer receber sportinguistas na nossa casa, especialmente quando chegam a Moçambique e nos procuram.

É isto o sportinguismo, amizade, amor ao clube.

Obrigado pelas lembranças que nos trouxe onde se incluia uma t-shirt do NS Espinho e o cachecol do nosso Presidente.

Obrigado Manuel Silva e volte sempre.

Saudações Leoninas

(Na foto: Manuel Silva e Antonio Costa)
Sent from my BlackBerry® smartphone

LIGA PORTUGAL: Leixões 1 x SPORTING 2



FIM DO CAMPEONATO..... FINALMENTE.....


O Sporting fechou a temporada com um triunfo no terreno do Leixões, com golos de Miguel Veloso e Pedro Silva.

Apesar de Carlos Carvalhal contar com uma equipa algo condicionada para a derradeira jornada da época (principais ausências de João Pereira, Carriço, Pedro Mendes e Liedson), o Sporting abordou bem o jogo no Estádio do Mar.

Com tudo decidido para os dois conjuntos no campeonato, o jogo decorreu sempre num ritmo baixo, mas os «leões entraram decididos em procurar a baliza de Berger.

O Sporting dominou as operações na intermédiária desde o início da partida e praticamente no primeiro lance de perigo fez golo, ao minuto 16. Após uma jogada bem trabalhada na direita por Pedro Silva e Abel, o brasileiro soltou para trás e Miguel Veloso disparou de primeira. Mais um belo golo do médio a confirmar a boa segunda metade da temporada que realizou em Alvalade.

O Leixões procurava sair a jogar em ataque apoiado, mas o melhor que conseguiu na primeira parte foram dois lances construidos por Braga e Pouga, resolvidos com facilidade por Rui Patrício e pela defensiva «leonina».

Na segunda parte, os «leões» voltaram a entrar melhor e podiam ter feito o segundo golo num belo movimento de Postiga de costas para a baliza que Berger defendeu a custo. Algo que não demorou a acontecer, com Pedro Silva a descobrir o caminho do 2-0, através de um forte remate de pé esquerdo. A vencer de forma folgada, Carvalhal decidiu mexer na estrutura, fazendo entrar Pereirinha para o lugar de Pedro Silva. Já em ritmo de descompressão, os «leões» ainda dispuseram de várias ocasiões para aumentar o score, principalmente por Yannick. Não marcou o Sporting, reduziu o Leixões num lance finalizado na grande área por João Paulo. Na equipa verde e branca Saleiro e o júnior Renato Neto ainda entraram para os últimos minutos, mas foi o Leixões a ter mais bola, tentando forçar o empate. Vitória justa do Sporting no fecho do campeonato.


**********************************


Ficha de Jogo:

Liga Sagres - 30ª jornada
2010-05-08
Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: Elmano Santos (Madeira)
Árbitros assistentes: Celso Pereira e José Oliveira.
4º Árbitro: Humberto Teixeira
Ao intervalo: 0-1

LEIXÕES - Berger; Jean Sony, Fernando Alexandre, Joel, Antunes (João Paulo, 45 m), Cauê, Seabra (Bruno Gallo, 63 m), Hugo Morais, Fábio Espinho, Pouga e Braga (Zé Manel, 45 m).
Treinador: Castro Santos.
Suplentes não utilizados: Fonseca, Nelson, Paulo Tavares e Tiago Cintra.

SPORTING - Rui Patrício; Abel, Tonel, Polga, Grimi, Miguel Veloso, Pedro Silva (Bruno Pereirinha, 62 m), João Moutinho, Matias Fernandez (Renato Neto, 90 m), Yannick Djaló e Hélder Postiga (Carlos Saleiro, 82 m).
Caneira, 90 m).
Suplentes não utilizados: Ricardo Batista, Caneira, Mexer e Luís Almeida
.
Treinador: Carlos Carvalhal.

Disciplina: Cartão amarelo para Grimi (6 m), Braga (23 m), Seabra (47 m), Pedro Silva (60 m), Yannick Djaló (90+1 m) e Miguel Veloso (90+2 m).
Golos: Miguel Veloso (16 m), Pedro Silva (55 m) e João Paulo (82 m).

FONTE: http://www.sporting.pt/

LIGA PORTUGAL - SPORTING 0 x NAVAL 1



BATALHA COM MURALHA....NAVAL

Na última jornada que o Sporting disputou esta época no Estádio José Alvalade, os «leões» não conseguiram vencer a Naval. O adversário da equipa «verde e branca» marcou o único tento da partida aos 62 minutos, por intermédio de Fábio Júnior.

Os pupilos de Carlos Carvalhal não realizaram uma boa exibição, permitindo que a Naval entrasse melhor na partida. Os «leões» só conseguiram chegar à baliza adversária aos 23 minutos, com Liedson a rematar ao lado. O Sporting mostrou algumas dificuldades na construção do seu jogo ofensivo e fruto disso não conseguiu criar grandes ocasiões de perigo para a baliza contrária, com excepção de um remate de Yannick, que passou ligeiramente ao lado. Com um nulo no marcador, o jogo chegou ao intervalo.

Na etapa complementar, o jogo voltou a não ser bem jogado, sendo que a Naval apareceu mais solta, conseguindo mesmo chegar ao golo ao minuto 62, por intermédio de Fábio Júnior. Os «leões» tentaram reagir, mas acabaram por jogar mais com o coração do que com a cabeça, não conseguindo assim dar a volta ao marcador. Mesmo despedindo-se de Alvalade com uma derrota, os «leões» alcançaram o quarto lugar da prova, fruto do empate do Vitória de Guimarães.

*******************************************

Ficha de jogo
Local: Estádio José Alvalade
Árbitro: André Gralha
Árbitros assistentes: Valter Oliveira e Luís Marcelino
Resultado ao intervalo: 0-0
2 de Maio de 2010

Sporting: Rui Patrício, João Pereira, Carriço, Tonel, Grimi (Pereirinha, 66 m), Miguel Veloso, Izmailov (Postiga, 61 m), Moutinho, Matias, Yannick e Liedson.
Treinador: Carlos Carvalhal
Não utilizados: Tiago, Polga, Pedro Silva, Adrien e Abel
Disciplina: Cartão amarelo a Carriço (78 m), João Pereira (79 m)


Naval: Peiser, Carlitos, Gómis, Diego, Bolívia, Lazaroni, João Real, Godeméche, Giuliano (Davide, 79 m), Camora e Fábio Júnior (Michael Simplício, 85 m).
Treinador: Augusto Inácio
Não utilizados: Jorge Batista, Daniel Cruz, Kovacevic, Zé Mário e Marinho.
Golos: Fábio Júnior (62 m)

fonte: http://www.sporting.pt/

LIGA PORTUGAL: Leiria 1 x SPORTING 1




«Leão» com falta de sorte

O Sporting trabalhou, lutou, rematou, marcou por uma vez através de Liedson, mas a falta de sorte para acertar mais vezes com a baliza adversária foi determinante para o resultado final.

O Sporting apresentou-se em Leiria com um estilo diferente do habitual, em 4x1x3x2, com Yannick Djaló a acompanhar Liedson no ataque, Veloso na direita e Izmailov na esquerda. A novidade teve a ver com o regresso de Grimi ao lote de titulares. Quanto ao jogo e perante um Leiria a jogar em 3x5x2, o Sporting fez uma primeira parte onde foi claramente superior, chegando mesmo à vantagem no minuto 16, através de Liedson. No lance, a assistência foi feita por Izmailov, com a bola a atravessar a defensiva leiriense e a chegar ao «levezinho» que, mesmo pressionado por Zé António, rodou e marcou. No entanto, aos 14 minutos, o Sporting já tinha deixado um forte aviso daquilo que pretendia, ou seja, por pouco não inaugurou o marcador mais cedo. Como intervenientes estiveram Izmailov que colocou a bola pelo meio em Djaló, que rematou obrigando Djuricic a defender em esforço. A bola sobrou para Liedson que não rematou bem e, depois, o lance terminou com Veloso a rematar para fora.

Era com alguma facilidade que o Sporting conseguia criar situações de perigo e de sufoco para os leirienses. Diga-se, aliás, que a vantagem por um golo, ao intervalo, acabava por ser curta, uma vez que praticamente só se viu Sporting durante o primeiro período do jogo.

Os jogadores da União de Leiria, que tiveram que suar muito para travar as intenções «leoninas», ainda conseguiram assustar Rui Patrício, à passagem dos 42 minutos, através de André Santos que apareceu na zona frontal da baliza do Sporting, mas rematou ao lado.

No segundo tempo, a União entrou determinada em contrariar o cenário do jogo. Decorriam apenas três minutos quando Cássio, de cabeça, conseguiu igualar o resultado, na sequência de um pontapé de canto, na direita. O Sporting respondeu, com Veloso a rematar de longe, mas Djuricic defendeu.

Foi, de facto, um U. Leiria totalmente diferente na segunda parte. Mais aguerrido, mais perigoso, fruto da alteração táctica feita por Lito Vidigal ao intervalo, equilibrando o jogo. Mesmo assim, o Sporting dispôs de algumas situações em que poderia ter chegado novamente à vantagem. Pedro Mendes, aos 65 minutos, teve uma grande oportunidade. No lance Moutinho recuperou a bola, passou para Liedson que viu Pedro Mendes bem posicionado e permitiu que este rematasse, mas Pedro Mendes, de frente para o guarda-redes, acabou por rematar ao lado. Depois, aos 77 minutos, Hélder Postiga com um remate fortíssimo, de longe, obrigou Djuricic a defender em esforço e, novamente, Postiga a cinco minutos do fim causou perigo, mas não conseguiu enganar Djuricic. Volvidos dois minutos, foi a vez de Matias Fernandez tentar a sorte, mas de frente para o guarda-redes não conseguiu marcar. Foi um Sporting de muita luta, de muita vontade, de muitos remates, mas também um Sporting com a sorte de costa voltadas para ele. O empate é um resultado que não deixa bem demonstrada a exibição «leonina».

*******************************


FICHA DE JOGO
Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria.
25 de Abril de 2010
Árbitro: Marco Ferreira (Madeira).
Árbitros assistentes: Sérgio Serrão e Nelson Moniz.

SPORTING – Rui Patrício; João Pereira, Tonel, Carriço e Grimi; Pedro Mendes e Miguel Veloso (Hélder Postiga, 69 m); Izmailov (Matias Fernandez, 80 m), João Moutinho e Djaló; Liedson.
Treinador: Carlos Carvalhal.
Suplentes não utilizados: Tiago, Polga, Adrien, Pereirinha e Abel.
Acção disciplinar: cartão amarelo para Daniel Carriço (8 m).
Golo: Liedson (16 m).

U. LEIRIA – Djuricic; Diego Gaúcho, Zé António e Paulo Vínicius; Hugo Gomes (Vítor Moreno, 45 m), André Santos, Marco Soares, Silas (Bitencourt, 89 m) e Patrick (Ouattara, 69 m); Carlão e Cássio.
Treinador: Lito Vidigal.
Suplentes não utilizados: Hélder Godinho, Zahovaiko, Elias e Tall.
Acção disciplinar: cartão amarelo para Paulo Vinícius (66 m).
Golo: Cássio (48 m).

fonte: www.sporting.pt