NUCLEO SPORTINGUISTA DE MOÇAMBIQUE NO JORNAL SPORTING -EDIÇÃO 29DEZEMBRO2009

(clique na imagem para ver em tamanho maior para efeitos de leitura)

LIGA PORTUGAL - Naval 0 x SPORTING 1




Regresso às vitórias

O Sporting voltou às vitórias no campeonato na última partida do ano, ao derrotar a Naval 1.º de Maio (1-0). Carlos Saleiro foi o autor do golo «solitário», aos 35 minutos.

Carlos Saleiro voltou a ser titular no ataque «leonino», num «onze» que não contou com Polga nem Vukcevic e, após dez minutos iniciais sem situações de golo, coube a Liedson (11 m) ser o primeiro a dispor de uma clara oportunidade para marcar, mas o seu remate rasteiro encontrou o corpo de Peiser. Num jogo muito dividido e jogado essencialmente a meio-campo durante a primeira parte, a Naval respondeu quatro minutos depois, quando Marinho, ao segundo poste, rematou por cima um cruzamento de Camora, na melhor e única grande oportunidade do conjunto visitante.

O jogo foi mantendo as suas características até ao golo «leonino», que surgiu (35 m) após uma jogada de insistência, iniciada pela mudança de flanco de Miguel Veloso para João Moutinho, que, coloca ao segundo poste, onde Liedson desvia, de cabeça, para Carlos Saleiro, no poste contrário e junto à relva, inaugurar o marcador.

Cinco minutos depois, Saleiro voltou a apareceu solto na área, tendo sido travado em falta por Peiser, quando procurava chegar à bola perdida resultante do seu remate defendido pelo guardião contrário.

Em vantagem no regresso do intervalo, a equipa «verde e branca» continuou a actuar no 4x4x2 «clássico» - com Veloso e Izmailov a ocuparem as alas e Moutinho e Adrien no «miolo» - procurando o ataque rápido para surpreender o conjunto de Augusto Inácio, que foi colocando jogadores no ataque à medida que os minutos iam passando, mas sem que isso resultasse em situações de perigo para o seguro Rui Patrício.

A entrada de Hélder Postiga (75 m) veio «agitar» o último quarto de hora, com o avançado a rematar de pé esquerdo de fora da área (78 m) para defesa difícil de Peiser, que, dois minutos depois, teve que se valer de todos os seus atributos para parar uma tentativa de canto directo de Miguel Veloso.

Liedson (84 m) voltou a estar perto do golo da tranquilidade, mas o seu remate saiu a rasar o poste navalista. O melhor momento «leonino» na partida continuou com Postiga (86 m) a ser desarmado na «hora H» e Izmailov e Adrien Silva (ambos aos 87 m) a justificarem o alargar da vantagem «leonina». Em suma, vitória justa dos «leões».

Naval 1.º de Maio, 0
Peiser; Carlitos, Gomis, Diego Ângelo e Daniel Cruz (Davide, 74 m); Lazaroni (Bolivia, 64 m); Marinho, Godemèche, Hauw e Camora; Kerrouche (Michel Simplício, 67 m). Treinador: Augusto Inácio. Suplentes não utilizados: Jorge Batista, João Real, José Mário e Baradji. Disciplina: cartões amarelos a Hauw (52 m), Godemèche (76 m) e Marinho (90 m),

SPORTING, 1
Rui Patrício; Abel, Daniel Carriço, Tonel e Grimi; Adrien Silva, Miguel Veloso, João Moutinho e Marat Izmailov; Carlos Saleiro (Hélder Postiga, 75 m) e Liedson (Bruno Pereirinha, 90 m). Treinador: Carlos Carvalhal. Suplentes não utilizados: Tiago, Pedro Silva, Polga, Caneira, Matías Fernandez. Disciplina: cartões amarelos a Daniel Carriço (11 m), Miguel Veloso (40 m), Adrien Silva (51 m) e Abel (72 m). Golo: Carlos Saleiro (35 m).


Futebol – 14.ª jornada do Campeonato Nacional .
2009-12-19 Estádio Bento Pessoa (Figueira da Foz).
Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco).
Árbitros auxiliares: Luís Marcelino e Jorge Luz .
Resultado ao intervalo: 0-1.


fonte: www.sporting.pt

LIGA EUROPA - Hertha 1 x SPORTING 0


Injusto

O Sporting sofreu a primeira derrota na Liga Europa, no fecho da fase de grupos, não conseguido quebrar a tradição de não vencer em terras germânicas. No entanto, os «leões» mereciam algo mais pela atitude que apresentaram em Berlim. Apesar das temperaturas negativas no Estádio Olímpico, os «leões» conseguiram ser uma equipa empreendedora e solidária num jogo onde jogavam pelo prestígio e por terminarem esta fase da competição sem desaires.

Além da presença de Saleiro no ataque, destaque para os regressos de Pedro Silva e Tonel à defesa e de Adrien e Pereirinha ao meio-campo, na estrutura promovida por Carlos Carvalhal. O Sporting entrou a controlar o jogo, não deixando que as transições para o contra-ataque do Hertha surtissem efeito. Com pressão alta sobre o portador da bola, os «leões» iam obrigando o adversário a errar muitos passes. Faltou, contudo, maior apoio dos médios no último terço para ajudar Saleiro - o substituto de Liedson – a visar por mais vezes a baliza de Drobny.

A equipa «leonina» ia criando mais perigo pelo flanco direito, com as subidas de Pedro Silva e os rasgos em velocidade de Pereirinha, já que no lado esquerdo a clarividência foi manifestamente inferior na primeira parte. Um pouco por isso, Izmailov foi o “sacrificado” ao intervalo, entrando Simon Vukcevic. Os «leões» mantiveram o domínio das operações, gerindo a posse de bola, sempre com os alemães a espreitaram o erro. Mesmo sem conseguir criar grandes situações junto à área alemã, o Sporting pode-se queixar de um fora-de-jogo mal tirado a Saleiro (minuto 50), quando este ia ficar cara a cara com Drobny.

O Hertha, que não tinha criado um lance de golo iminente para a baliza de Patrício em 70 minutos, conseguiu chegar ao golo num desvio com o joelho de Kacar na pequena área, na sequência de uma bola parada. Um pouco antes, Patrício tinha negado com uma boa defesa o tento dos alemães a remate de Ramos, numa altura em que Carvalhal já poupava Pedro Silva (Abel) e Moutinho (Miguel Veloso). Até ao final do encontro, Saleiro, com uma grande rotação, dispôs da melhor ocasião para empatar a jogo, mas Drobny defendeu o remate do avançado «leonino» e o Sporting saiu de Berlim sem pontos.

Liga Europa – Grupo D – 6ª jornada

Estádio Olímpico em Berlim.
Árbitro: Aleksei Kulbakov
Árbitros assistentes: Vlachaslau Bykov e Serguei Tsinkevich.
Ao intervalo: 0-0

HERTHA: Drobny; Piszczek, Janker, Von Bergen, Pejcinovic, Kacar (Kringel, 85 m), Lustenberger, Cícero, Nicu (Kaká, 90 m); Wichniarek (Domovchiyski, 68 m) e Ramos.
Treinador:
Friedhelm Funkel.
Suplentes: Burchert, Bigalke, Perdedaj e Fardi.
Disciplina: cartão amarelo para Kacar (70 m).
Golo: Kacar (70 m).

SPORTING: Rui Patrício; Pedro Silva (Abel, 66 m), Tonel, Carriço, Grimi, João Moutinho (Miguel Veloso, 72 m), Adrien, Matias Fernandez, Bruno Pereirinha, Izmailov (Vukcevic, 45 m) e Saleiro.
Treinador: Carlos Carvalhal.
Suplentes: Tiago, Polga, Caneira e Postiga.
Disciplina: Cartão amarelo para Daniel Carriço (43 m) e Saleiro (81 m).

fonte: www.sporting.pt

Mexer: "Venho para o meu clube do coração"




Mexer assinou contrato por duas temporadas e meia com o Sporting. O jovem defesa-central de 21 anos proveniente do Desportivo de Maputo conheceu a Academia e garante que vai provar o seu valor para jogar em Alvalade. "Estou muito feliz e espero demonstrar a minha qualidade para me afirmar no Sporting. É um grande sonho jogar no Sporting até porque venho para o meu clube do coração. Conheço alguns jogadores da equipa, porque em Moçambique acompanhava os jogos do campeonato português", indicou.

O defesa-central salientou ainda que o Desportivo de Maputo é uma espécie de Sporting em Moçambique já que "aposta bastante no lançamento de jovens para a equipa principal". O internacional moçambicano foi dispensado do estágio da selecção, para rubricar o contrato com o Sporting, que se encontra a preparar a participação na CAN, competição que se realiza em Janeiro em Angola.

FONTE: www.sporting.pt

LIGA PORTUGAL - SPORTING 0 x Leiria 1








Pressão alta, mas sem golos

O Sporting pressionou bastante a equipa da União de Leiria, mas não conseguiu um resultado que o ajudasse a dar o tão desejado passo em frente.

Em dia de festa para os Núcleos, o Sporting não conseguiu entrar da melhor forma no jogo, protagonizando uma primeira metade sem conseguir chegar com grande perigo à baliza de Djuricic. Ao contrário, a União de Leiria tentava surpreender os «leões» e acabou por chegar ao golo, aos 27 minutos, por intermédio de Vinícius que, de cabeça, soube aproveitar um pontapé de canto apontado, na direita, por Marcos Soares. Aos 14 minutos, o Sporting já havia reclamado uma grande penalidade, num lance em que André Santos puxou a camisola de Matias Fernandes na área, mas o árbitro que o lance merecesse ser assinalado.

Mesmo assim, no primeiro tempo, foi a União que criou mais perigo. Aos 26 minutos, Ronny obrigou Rui Patrício a fazer uma grande defesa e, aos 20 minutos, Cássio efectuou um cabeceamento à trave. Os «leões» chegaram ao intervalo a perder por 0-1, mas entraram no segundo tempo mais pressionantes. 15 remates, 39 ataques e 10 pontapés de cantos acabaram por não ser suficientes para que os sportinguistas conseguissem virar o resultado.

Mais ameaçador, o Sporting obrigou a equipa de Leiria a recuar no terreno que acabou por realizar uma segunda metade à procura de não sofrer golos, preocupando-se muito pouco em criar perigo a Rui Patrício. Aos 60 e 62 minutos, Leiria e Sporting marcaram mas o árbitro assinalou fora de jogo. Aos 73 minutos, Pereirinha, bem posicionado, teve tudo para marcar, mas não conseguiu segurar a bola de forma a rematar com perigo. Aos 79 minutos, Liedson perante a marcação de três defesas leirienses conseguiu que a bola chegasse a Moutinho, mas este, de frente para a baliza, rematou muito ao lado. Aos 83 minutos, Izmailov na direita centrou para um pontapé fantástico de Liedson, mas o guarda-redes adversário conseguiu defender. Aos 86 minutos, Miguel Veloso cruzou para Liedson mas, mais uma vez, o guarda-redes adversário defendeu e, depois, já em período de descontos, Liedson tentou novamente a sorte, mas sem ser feliz.

Foi sem dúvida uma boa segunda parte dos «leões», com muita entrega, muita luta até ao último minuto, mas sem conseguir dar o tão desejado passo em frente.

Ficha de Jogo
Estádio José Alvalade
12 de Dezembro de 2009
Árbitro: Vasco Santos (Porto).


SPORTING: Rui Patrício; Abel, Carriço, Polga e Caneira (Pereirinha, 45 m); Miguel Veloso e João Moutinho; Izmailov, Matías Fernandez (Adrien Silva, 45m) e Vukcevic (Hélder Postiga, 73 m) e Liedson.
Treinador: Carlos Carvalhal.
Suplentes não utilizados: Tiago, Saleiro, Tonel e Grimi.
Acção disciplinar: Vukcevic (63 m) e Adrien Silva (52 m).


U. LEIRIA: Djuricic; Mamadou Tall, Bruno Miguel, Paulo Vinícius e Ronny; Marco Soares; André Santos, Silas (Hugo Gomes, 88 m) e Pateiro (Elias, 90+5 m); Tiago Luís (Pedro Cervantes, 68 m) e Cássio.
Treinador: Lito Vidigal.
Suplentes não utilizados: Hélder Godinho, Tiago Martins, Kalaba e Ouatarra.
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Pateiro (50 m) e Djuricic (79 m).
Golo: Vinícius (27 m).

fonte: www.sporting.pt

BOA SORTE COMPATRIOTAS!!!!

Edson Andre Sitoe (Mexer) e Zainadine Mulungo Junior passaram dia 7 de Dezembro pelo NUCLEO SPORTINGUISTA DE MOÇAMBIQUE antes da sua viagem para Portugal, onde irão tentar a sua sorte no nosso SPORTING.
O objectivo era essencialmente transmitirmos o nosso carinho e que é uma honra para Moçambique e para os sportinguistas de Moçambique vê-los a representar o nosso SPORTING.
BOA SORTE e cá estaremos para que o sucesso deles coincida com o sucesso do SPORTING.
BOA SORTE!!!

LIGA EUROPA - Setubal 0 x SPORTING 2








Liedson a ab

rir e a fechar



No Estádio do Bonfim, o Sporting regressou à vitórias no Campeonato Nacional e Liedson voltou aos golos. O «31» abriu o activo aos quatro minutos e fechou a contagem aos 88.

Para a curta deslocação a Setúbal, Carlos Carvalhal colocou Izmailov no «onze» e deixou Postiga no banco, deixando Liedson sozinho na frente do ataque, apoiado por Matias ao centro e por Veloso e Izmailov nas alas.

O primeiro tempo começou praticamente com o primeiro golo do encontro. Logo aos quatro minutos, Matias Fernandez, com um passe em profundidade, rasgou por completo a linha de três centrais do Vitória e desmarcou Liedson que, com o pé direito, não deu hipóteses a Nuno Santos.

Após o golo, o Sporting «pegou» no jogo e não deixava a equipa da casa sair para o ataque, muito por culpa da pressão que Liedson, Matias, Veloso e Izmailov faziam no meio-campo sadino.

Só aos 19 minutos, e depois de algumas oportunidades perigosas junto da baliza de Nuno Santos é que a equipa de Setúbal criou perigo na área «leonina», mas Rui Patrício opôs-se da melhor maneira ao cabeceamento de Keita.

Com o passar do tempo, a qualidade do jogo foi decaindo e foi com satisfação que os poucos adeptos que se encontravam no Bonfim viram o intervalo a chegar.

Para o segundo tempo, Carvalhal colocou Pereirinha no lugar de Izmailov; foi precisamente o internacional sub-21 o primeiro a criar perigo, ao aparecer na cara de Nuno Santos, após uma excelente assistência de Moutinho, mas o remate saiu com pouca força e Zoro conseguiu tirar quase em cima da linha.

Seguiu-se uma pequena reacção do Vitória que, por intermédio de Djikiné quase chegou ao empate, mas Rui Patrício voltou a ser gigante, evitando o golo sadino.

Tal como no final do primeiro tempo, assistia-se a um mau jogo de futebol, com muitos passes errados e poucas jogadas de perigo. Só a partir do minuto 65, na sequência da expulsão de André Pinto, é que os «leões» voltaram a mandar no jogo; com mais espaço para sair para o ataque, as oportunidades de golo foram-se sucedendo, mas foi depois de um erro clamoroso de Nuno Santos que o «levezinho» voltou a marcar; à passagem do minuto 88, o árbitro assitente assinalou fora-de-jogo a Liedson, mas Elmano Santos mandou seguir; o ex-guarda-redes do Sporting não percebeu e quando passava a bola para que um companheiro apontasse o livre, Liedson interceptou e, sem ninguém na baliza não teve dificuldade em fazer o 2-0 e fechar a contagem.

Vitória justa dos «leões», num fraco jogo de futebol.

V. Setúbal, 0-Sporting, 2
12.ª jornada do Campeonato Nacional
2009-12-07 - Estádio do Bonfim, Setúbal
Árbitro: Elmano Santos.
Árbitros assistentes: Celso Pereira e Nelson Moniz.
Ao intervalo: 0-1

V. Setúbal: Nuno Santos, Zarabi, Zoro, Rúben Lima, André Pinto, Alan, Zarabi, Sandro (Guilherme, 77 m), Álvaro Fernandez (Hélder Barbosa, 61 m), Djikiné, Luís Carlos (Lourenço, 77 m) e Keita.
Treinador: Manuel Fernandes

Não utilizados: Mário Felgueiras, Collin, Regula e Rui Fonte.

SPORTING: Rui Patrício, Abel, Carriço, Polga, Caneira, Adrien, João Moutinho, Izmailov (Pereirinha, 45 m), Matias Fernandez (Postiga, 70 m), Miguel Veloso e Liedson (Saleiro, 90 m).
Treinador: Carlos Carvalhal
Não utilizados: Ricardo Batista, Pedro Silva, Saleiro, Tonel e Grimi
.

Disciplina: cartão amarelo a André Pinto (64 e 65 m), Zarabi (84 m) e Keita (90+2 m); cartão vermelho por acumulação a André Pinto (65 m).
Golos: Liedson (4 e 88 m)

FONTE: www.sporting.pt

LIGA PORTUGAL - SPORTING 0 x Benfica 0



Atitude merecia outro resultado


O Sporting não conseguiu desfazer o nulo inicial, cedendo dois pontos na recepção ao Benfica (0-0).

Após uma animação memorável por parte das claques «leoninas» antes do apito inicial da partida, Carlos Carvalhal surpreendeu com o 4x5x1, colocando Miguel Veloso na esquerda, Vukcevic na direita e Matias Fernandez nas costas de Liedson, defendendo com 10 jogadores e procurando sair para o ataque com apoios directos no avançado luso-brasileiro, quase sempre cortados em falta pelos benfiquistas, numa «arma táctica» possibilitada pelo árbitro Pedro Proença, que apenas «sacou» do amarelo para Anderson Polga, na primeira falta do defesa brasileiro. Este povoamento a meio-campo, levou à superioridade «leonina» na intermediária, respondendo Jesus com Ramirez no centro do terreno e Aimar na direita.

O Sporting teve, aos 23 minutos, as melhores oportunidades da primeira parte, com Liedson, primeiro, num remate rasteiro defendido por Quim e um remate ao lado, por Polga, quando apareceu solto na esquerda, mas o resultado manteve-se inalterado. O Benfica, como era esperado, jogou no ataque rápido, mas sem oportunidades na primeira metade.

Após o intervalo, a toada equilibrada, mas sem remates, continuou, com o remate à barra de Saviola, em fora-de-jogo, a ser respondido, no minuto seguinte, com a jogada em que o Sporting esteve mais perto de marcar, quando Quim fez a defesa da noite, a remate de fora da área de Miguel Veloso (57 m).

Surgiu a altura dos bancos funcionarem, com as substituições a surgirem, com Hélder Postiga a juntar-se, no ataque, a Liedson – e Bruno Pereirinha a surgir no corredor direito – com o Benfica apenas a dispor de uma clara ocasião para marcar, quando Ramirez (83 m) rematou ao lado, além de duas defesas seguras de Rui Patrício.

No final, um empate que penaliza o Sporting, que revelou boa atitude ao longo dos 90 minutos, numa partida em que a segurança defensiva e o equilíbrio táctico, sobressaíram sobre o futebol ofensivo.

Ficha de jogo:
11ª jornada do Campeonato Nacional.
28/11/2009 – Estádio José Alvalade, em Lisboa.
Árbitro: Pedro Proenca (Lisboa).
Árbitros auxiliares: Tiago Trigo e André Campos.
Resultado ao intervalo: 0-0.

SPORTING, 0
Rui Patrício; Abel (Pedro Silva, 44 m), Polga, Daniel Carriço e Caneira; Miguel Veloso, Adrien Silva e João Moutinho; Matias Fernandez (Bruno Pereirinha, 73 m); Simon Vukcevic (Hélder Postiga, 83 m) e Liedson.
Treinador: Carlos Carvalhal.
Suplentes não utilizados: Tiago, Leandro Grimi, Carlos Saleiro e Felipe Caicedo.
Disciplina: cartões amarelos a Polga (26 m), Adrien Silva (51 m), Miguel Veloso (68 m).

Benfica, 0
Quim; Maxi Pereira, Sidney (Miguel Vítor, 77 m), David Luiz e César Peixoto; Javi Garcia, Ramirez, Pablo Aimar (Rúben Amorim, 67 m) e Di Maria; Saviola (Fábio Coentrão, 85 m) e Cardozo.
Treinador: Jorge Jesus.
Suplentes não utilizados: Júlio César, Felipe Menezes, Nuno Gomes e Weldon.
Disciplina: cartões amarelos a Javi Garcia (69 m) e David Luiz (76 m).


Texto: http://www.sporting.pt/

LIGA PORTUGAL - SPORTING 1 x Maritimo 1





Imerecido
O Sporting empatou com o Marítimo e perdeu mais dois pontos em Alvalade. Pela raça e entrega que colocaram no jogo, os «leões» não mereciam tamanho desfecho mas, o futebol como já se comprovou, não é uma ciência exacta. Paulo Bento fez três alterações no onze do Sporting, para a recepção ao Marítimo. André Marques, Pereirinha e Hélder Postiga entraram na equipa, em detrimento de Grimi, Vukcevic e Caicedo, sendo que o montenegrino, em virtude dos problemas físicos que apresentou ao longo da semana, acabou por ficar de fora do banco de suplentes.


O Sporting imprimiu um ritmo forte na partida, tentando ganhar cedo vantagem no marcador. Um livre directo de Moutinho ainda animou as hostes «leoninas», mas, com a chuva que se abateu sobre Alvalade, não foi nada fácil jogar um futebol de “régua e esquadro”. Mesmo assim, e já depois do Marítimo mostrar que não veio a Lisboa só para defender - Marcinho e Baba causaram alguns calafrios à defesa «leonina» - a equipa do Sporting mostrou-se sempre solidária, denotando muita garra e maior agressividade sobre o portador da bola. Num primeiro tempo com poucas ocasiões de golo, o Sporting teve o controlo das operações na intermediária, mas foi o Marítimo a usar os corredores laterais e a velocidade de Manú e Djalma para surpreender na contra-ofensiva.


O segundo tempo começou com uma falta sobre Postiga nos limites da grande área do Marítimo. Matias Fernandez cobrou o livre, ao qual Carriço não conseguiu dar a melhor direcção mas, ao minuto 53, explosão de alegria em Alvalade com um golaço do chileno. Não demorou muito, contudo, a vantagem dos «leões», já que Manú encheu-se de fé e com um remate do meio da rua alcançou um golo de antologia, empatando a partida. Paulo Bento tirou então Abel e Pereirinha, reformulando o lado direito com as entradas de Pedro Silva e Caicedo. Os «leões» não viraram a cara à adversidade e tiveram três boas chances para o 2-1, por intermédio de Carriço, Postiga e Caicedo, que isolado atirou ao poste da baliza de Peçanha, mas, até aos minutos finais, os «leões» tiveram sempre mais coração do que cabeça.


Liga Sagres – 9.ª jornada
2009-11-01
Estádio José Alvalade
Árbitro: Cosme Machado (Castelo Branco)
Árbitros assistentes: Alfredo Braga e Paulo Vieira.
Ao intervalo: 0-0


SPORTING: Rui Patrício; Abel (Pedro Silva, 63 m), Tonel, Carriço, André Marques (Saleiro, 81 m), Miguel Veloso, Pereirinha (Caicedo, 63 m), Moutinho, Matias Fernandez; Liedson e Postiga.
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Tiago, Adrien, Angulo e Grimi.


MARÍTIMO: Peçanha; Paulo Jorge, João Guilherme, Fernando, Alonso, Roberto Sousa, Bruno; Manú (Briguel, 77 m), Marcinho (Pitbull, 90 m), Djalma (Taka, 71 m) e Baba.
Treinador: Mitchell Van der Gagg.
Suplentes não utilizados: Marcelo, Miguel Ângelo, Olberdam e Kléber.


Disciplina: Cartão amarelo para Hélder Postiga (12 m), Miguel Veloso (23 m), Fernando (47 m), Roberto Sousa (50 m), Daniel Carriço (58 m), Pedro Silva (82 m) e Peçanha (90+4 m).
Golos: Matias Fernandez (53 m) e Manú (61 m).
Fonte: www.sporting.pt

LIGA PORTUGAL - Guimaraes 1 x SPORTING 1




EMPATE NA CIDADE BERÇO

O Sporting deslocou-se a Guimarães para disputar o último jogo da 8.ª jornada da Liga. Os «leões» não entraram bem na partida, dando à equipa da casa as honras do ataque. Os pupilos de Paulo Bento demoraram algum tempo para sacudirem a pressão, sendo que na primeira ocasião de golo criada para a baliza de Nilson, viram o árbitro do encontro, Olegário Benquerença, a anular o golo a Caicedo, por um eventual fora de jogo do equatoriano, que deixou muitas dúvidas. O Guimarães mostrou ter mais facilidades para sair para o ataque, mas ainda assim Rui Patrício só foi chamado a intervir duas vezes – aliviou para canto um livre directo apontado por Moreno e opôs-se bem frente a João Alves, que apareceu em boa posição para rematar, mas o guarda-redes «leonino» negou o tento vimaranense. Sem outros lances de destaque a partida chegou ao intervalo.

No reatar do jogo, Paulo Bento mexeu na equipa, tirando Grimi e pondo Pereirinha. Miguel Veloso recuou para o lado esquerdo da defesa. O Sporting entrou melhor, praticou uma melhor circulação de bola e ultrapassou a barreira defensiva do adversário. Caicedo, ao minuto 58, esteve próximo de fazer o golo, através de um bom remate de fora da grande área vimaranense, mas a bola saiu ligeiramente ao lado. Nesse mesmo minuto, o técnico «leonino» voltou a mexer na equipa, tirando Caicedo e pondo no seu lugar Hélder Postiga. A melhor ocasião de golo de toda a partida até ao momento, para ambas as equipas, aconteceu ao minuto 76, com Nilson a fazer uma grande defesa e a negar o golo a Liedson. O avançado, depois de muito bem servido por Pereirinha, cabeceou para a defesa com os punhos do guardião da casa. O Sporting estava a atravessar o seu melhor período de jogo, mais aguerrido no ataque à bola e com boas incursões no ataque. Os «leões» materializaram esse domínio aos 82 minutos, com um tento de Matías Fernandez, depois de um passe de Liedson. Os jogadores da casa reclamaram fora de jogo do médio «leonino», mas o árbitro ajuizou bem ao validar o tento do Sporting, pois Matías Fernandes estava atrás da linha da bola quando Liedson lhe passou o esférico. O técnico do Guimarães apostou tudo e fez duas substituições de uma assentada, tirando João Alves e Andrezinho e pondo nos seus lugares Rui Miguel e Jorge Gonçalves. O jogo estava a ser disputado a um ritmo elevado, com as duas equipas a lutarem pela conquista dos três pontos, mas os «leões» sofreram um rude golpe, quando já em tempo de descontos, o recém-entrado Rui Miguel, à entrada da grande área do Sporting, rematou para o fundo da baliza de Rui Patrício. Depois da segunda parte protagonizada pelos pupilos de Paulo Bento, o empate tem um sabor amargo.

Ficha de jogo:
Local: Estádio D. Afonso Henriques
Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria)
Árbitros assistentes: Bertino Miranda e José Cardinal
Resultado ao intervalo: 0-0
27 de Outubro de 2009

V. Guimarães: Nilson, Alex, Moreno, Gustavo Lazzaretti, Andrezinho (Jorge Gonçalves, 86 m), Flávio Meireles, Desmarets, João Alves (Rui Miguel, 86 m), Targino (Roberto, 69 m), Nuno Assis e Douglas.
Treinador: Paulo Sérgio.
Não utilizados: Serginho, Custódio, Marquinho e Milhazes.
Disciplina: Cartão amarelo a Alex (65 m), Nilson (82 m) e Flávio (84 m).
Golo: Rui Miguel (90 m)

Sporting: Rui Patrício, Abel, Tonel, Carriço, Grimi (Pereirinha, 45 m), Miguel Veloso, Moutinho, Vukcevic (Saleiro, 78 m), Matías Fernandes, Caicedo (Hélder Postiga, 58 m) e Liedson.
Treinador: Paulo Bento.
Não utilizados: Tiago, Pedro Silva, Adrien Silva e Angulo.
Disciplina: Cartão amarelo a Grimi (19 m), Abel (40 m), Moutinho (73 m), Tonel (84 m) e Saleiro (89 m).
Golo: Matías Fernandez (82 m)


fonte: www,sporting.pt

LIGA EUROPA - Ventspils 1 x SPORTING 2

A um passo da qualificação




Paulo Bento apostou em Caicedo para fazer dupla com Liedson, na frente de ataque. Carlos Saleiro que foi titular frente ao Penafiel, na Taça de Portugal, ficou no banco, tal como Angulo, que cedeu o lugar a Matias Fernandez.

Em Riga registavam-se 6.º C na altura do início do encontro, temperaturas que raramente se registam em Lisboa. Mesmo assim, o frio não fez baixar o nível dos «leões» que aos cinco minutos marcaram o seu primeiro golo. O autor Miguel Veloso, de pontapé de canto, colocou a bola dentro da baliza adversária. Seguiu-se Liedson a tentar a sorte, mas desta vez o guarda-redes adversário, Aleksandrs Kolinko, conseguiu impedir que o avançado marcasse. A terceira grande oportunidade para os «leões» aconteceu, aos 11 minutos, com Vukcevic a rematar ao poste.

Aos 16 minutos, Caicedo também ficou a centímetros de marcar! O equatoriano recebeu a bola na área, ultrapassou o guarda-redes e, já de ângulo apertado, ainda rematou para a baliza. No entanto, o defesa Mihadjuks, sobre a linha, conseguiu cortar contra o poste. A bola ainda percorreu a linha de golo, mas não entrou.

Com uma boa agressividade, os «leões» mostraram sempre uma enorme vontade em aumentar o número de golos marcados. Matias Fernandez esteve perto de facturar, à passagem do minuto 26, mas rematou ao lado. Aos 43 minutos, o mesmo jogador rematou forte, mas o guarda-redes adversário impediu que os «leões» se adiantassem no marcador. A vantagem de um golo ao intervalo não espelhava a bela exibição dos «leões» na primeira parte. Os «pupilos» de Paulo Bento apresentaram-se em grande forma, lutando bastante, rematando vezes sem fim, mas sem a pontinha de sorte para concretizar os muitos remates perigosos que efectuaram.

No segundo tempo, os «leões», que tantas oportunidades tiveram para dar uma goleada, acabaram por sofrer o empate, à passagem do minuto 64, através de uma grande penalidade convertida por Juris Laizans. No lance, Tonel ao fazer um carrinho acabou por cometer falta sobre Gauracs e, depois, o número 10 do Ventspils não falhou o alvo. O golo deu mais confiança à equipa da casa que cresceu, tornou-se mais veloz e criou mais dificuldades aos «leões». Esse motivo levou Paulo Bento a apostar numa maior frescura à linha atacante, fazendo entrar, aos 73 minutos, Hélder Postiga para o lugar de Caicedo. Aos 63 minutos, o treinador já havia feito o mesmo no meio campo, quando substituiu Vukcevic por Pereirinha.

Aos 81 minutos, Liedson voltou a criar perigo para os «leões», mas a bola não levou a melhor direcção. Acabou por ser Moutinho que, aos 85 minutos, marcou o golo da vitória da turma «leonina». Um belo golo que começou nos pés de Angulo. O espanhol assistiu o «capitão» que recebeu a bola de cabeça, ao mesmo tempo que tirou o defesa adversário do seu caminho e, de primeira, rematou forte para o fundo da malhas de Kolinko.

Esta vitória deixou o Sporting a um passo de marcar presença na segunda fase da Liga Europa.

Ficha de jogo

Estádio Skonto, em Riga (Letónia).
22 de Outubro de 2009
Árbitro: Sacha Kever (Suiça).
Auxiliares: Raffael Zeder e Devis Dettamanti.
4.º Árbitro: Alain Bieri.

VENTSPILS – Aleksandrs Kolinko; Chirkin, Mihadjuks, Kosmacovs (Zigajevs, 62 m), Zamperini, Ndeki, Ronny Hodel, Butriks (Visnakovs, 54 m), Juris Laizans (Vitalijs Astafjevs, 83 m), Tigirlas e Gauracs.
Treinador: Nunzio Zavettieri.
Suplentes não utilizados: Chesnovski, Solovjovs e Dedov e Eduards Visnakovs.
Golo: Juris Laizans (64 m g.p.).


SPORTING – Rui Patrício; Abel, Tonel, Daniel Carriço, Grimi, Miguel Veloso, João Moutinho, Matias Fernandez (Angulo, 79 m), Simon Vukcevic (Pereirinha, 63 m), Felipe Caicedo (Hélder Postiga, 73 m) e Liedson.
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Tiago, André Marques, Pedro Silva e Carlos Saleiro.
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Angulo (87 m), Liedson (89 m).
Golo: Miguel Veloso (5 m) e João Moutinho (85 m).

Fonte: http://www.sporting.pt/

Taça Portugal - SPORTING 3 x Penafiel 0




Apuramento garantido na segunda parte

O Sporting iniciou a sua participação na Taça de Portugal 09/10 com uma vitória conseguida pelos golos de Liedson (51 m), João Moutinho (73 m) e Simon Vukcevic (nos descontos).

Paulo Bento deu a titularidade a Carlos Saleiro como parceiro de ataque de Liedson, no regresso do Clube a uma competição em que não perde um jogo há cinco temporadas: duas vitórias na competição e três eliminações em desempates de grandes penalidades.

O Sporting, desde o primeiro minuto, procurou jogar pelos corredores, mas sem conseguir espaços, nem oportunidades para marcar, cabendo a Miguel Veloso, aos 18 minutos, a primeira ocasião, quando o seu livre lateral embateu na barra. O Penafiel procurou o contra-ataque, conseguindo, por várias vezes, a superioridade numérica, mas os durienses não criaram qualquer perigo por má definição das suas jogadas, respondendo o «leão» apenas aos 40 minutos, quando Carlos Saleiro após esgueirar-se pela esquerda, rematou rasteiro com o guarda-redes contrário a defender para canto.

Na segunda parte, tudo foi diferente a partir do momento em que Liedson «entrou» em jogo (51 m), quando o internacional português inaugurou o marcador, num remate rasteiro e colocado de pé esquerdo, após ter recuperado uma bola á entrada da área penafidelense.

A equipa ganhou confiança e acelerou processos – embalados pelo constante apoio dos adeptos ao longo de toda a partida – estando mais vezes perto da área adversária, perante um Penafiel que continuou a colocar vários jogadores no contra-ataque, o que resultou num remate perigoso de Guedes (58 m), que Tiago defendeu com dificuldade para canto.

O jogo ainda não estava resolvido e Liedson voltou a entrar em acção aos 71 minutos, quando viu o seu remate embater no braço de Costa, com João Moutinho a dilatar a vantagem na transformação da respectiva grande penalidade.
Cumprida a sua missão, Liedson foi substituído por Pedro Silva para receber, mais uma, merecida ovação do público presente que estendeu o seu aplauso aos restantes companheiros no final da partida. Na jogada anterior ao apito final, Vukcevic, muito bem servido por Abel, apareceu na cara de Willian para fixar o marcador, em três golos sem resposta.

SPORTING, 3
Tiago, Abel, Tonel, Daniel Carriço e Leandro Grimi (Adrien Silva, 45 m), Miguel Veloso, Angel Angulo (Bruno Pereirinha, 71 m), João Moutinho e Simon Vukcevic; Liedson (Pedro Silva, 84 m) e Carlos Saleiro. Treinador: Paulo Bento. Suplentes não utilizados: Hélder POstiga, Felipe Caicedo, Matias FErnandez e Rui Patrício. Disciplina: cartão amarelo a Daniel Carriço (68 m). Golos: Liedson (51 m), João Moutinho, gp (73 m) e Simon Vukcevic (90 m).

PENAFIEL, 0
Willian, Alex Garcia, Costa, Vagner e Zé Nando; Rafa, Guedes, Vítor Emanuel (Hernâni, 59 m) e Hugo Soares; Kanu e Michel (Larry Clavier, 72 m). Treinador: Lazáro Almeida. Suplentes não utilizados: José Eduardo, Elísio, Dias e Moreno Freire. Disciplina: cartões amarelos a Hugo Soares (71 m), Costa (74 m) e Zé Nando (78 m).

Futebol – III Eliminatória da Taça de Portugal 2009/10
2009-10-18 Estádio José Alvalade.
Árbitro: Paulo Baptista (Portalegre).
Árbitros auxiliares: Luís Tavares e José Braga.
Resultado ao intervalo: 0-0.

Textos: www.sporting.pt

LIGA PORTUGAL - SPORTING 0 x Belenenses 0




0 - 0 .....

O Sporting empatou em Alvalade frente ao Belenenses, perdendo mais dois pontos no campeonato.

Em nítida crise de confiança, a equipa «leonina» não conseguiu superar um adversário pouco afoito em termos ofensivos. No onze verde e branco, Angulo foi aposta para o lado direito do meio campo, mantendo-se Adrien Silva na posição de trinco, tal como havia sucedido no encontro para a Liga Europa, ficando Vukcevic na meia esquerda e Moutinho a dez. Na defesa, Leandro Grimi voltou a actuar no lado esquerdo da defesa, completando o quarteto com Abel, Tonel e Daniel Carriço. O ataque ficou entregue a Postiga e Liedson.

O Sporting imprimiu uma entrada forte na partida, tentando encostar o Belenenses, e Postiga foi o primeiro a visar da baliza de Nelson, um dos três ex-«leões» (mais Beto e Celestino) que actuaram na formação de João Carlos Pereira.

No entanto, os «leões» voltaram a evidenciar uma indisfarçável ansiedade na fase de construção – para além do condicionante estado da relva de Alvalade (!) – sem que tenha existido grande pressão sobre a bola por parte dos homens do Restelo. Mesmo sem jogar bem a primeira parte, à meia hora, os «leões» tiveram grande ocasião para abrir o activo após roubo de bola de Postiga a Beto, mas o avançado optou por atirar à baliza, quando tinha dois companheiros em boa situação para desfeitear Nelson.

Aos 36 minutos, lance duvidoso na área do Belenenses com a queda de Angulo, e na sequência da jogada, o argentino Grimi, cheio de fé, atirou forte de longe, com Nelson a negar o primeiro golo aos «leões».

No segundo tempo, o Sporting voltou a denotar pouca ligação entre os sectores e Carlos Pereira não demorou muito a alterar as coisas, com Pereirinha (Vukcevic) e Yannick Djaló a entrarem na partida. Na sequência de um canto, Postiga errou o alvo de cabeça e, pouco depois foi Liedson, após tabela com Moutinho, a colocar a baliza de Nelson em alvoroço, confirmando as melhorias na produção ofensiva do Sporting.

Já com Caicedo (Postiga) em campo, os «leões» apertaram o último reduto do Belenenses e foi o equatoriano a dispor de uma excelente ocasião para marcar, mas perdeu tempo de remate. Os azuis do Restelo resguardaram-se na defensiva, mas o Sporting teve sempre mais coração do que discernimento no momento de atirar à baliza.

Ficha de Jogo:

Liga Sagres
Estádio José Alvalade
2009-10-04
Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco)
Árbitros assistentes: Valter Oliveira e Luís Tavares.
Ao intervalo: 0-0

SPORTING: Rui Patrício; Abel, Tonel, Daniel Carriço, Grimi, Moutinho, Adrien Silva, Angulo (Yannick Djaló, 56 m), Vukcevic (Pereirinha, 56 m), Postiga (Caicedo, 65 m) e Liedson.
Treinador: Carlos Pereira
Suplentes não utilizados: Ricardo Batista, Pedro Silva, Saleiro e Nuno Reis.


BELENENSES: Nélson; Mano, Beto, Diakité, Tiago Gomes (Gavilan, 14 m); Celestino, Barge, Zé Pedro, Fredy (Felipe Bastos, 84 m), Yontcha (Adu, 66 m) e Lima.
Treinador: João Carlos Pereira
Suplentes não utilizados: Bruno Vale, Rodrigo Arroz, Igor e Cândido Costa
.

Disciplina: Cartão amarelo para Gavilan (20 m), Celestino (70 m) e Barge (84 m).

Fonte: http://www.sporting.pt/

LIGA EUROPA - SPORTING 1 x Hertha 0




Três pontos e o primeiro lugar no Grupo

O Sporting recebeu e venceu o Hertha de Berlim, por 1-0. O único golo dos «leões» foi apontado por Adrien Silva, aos 17 minutos. Valeu a primeira vitória frente a equipas alemãs e os três pontos que dão ao Sporting o primeiro lugar do Grupo D, com mais quatro pontos que o segundo classificado, o Ventspils.

Para a recepção aos alemães, Paulo Bento fez várias alterações em relação ao último «onze»; na defesa, Miguel Veloso e Tonel entraram para os lugares de Grimi e Polga; no meio campo, além de Moutinho, Matias e Vukcevic, Adrien entrou para o lugar que Veloso deixara em aberto. Já no ataque, Caicedo substituiu Postiga no apoio a Liedson.

Os «leões» entraram em campo à procura dos três pontos, mas foram os alemães os primeiros a criar perigo; ao terceiro minuto, Adrián Ramos pôs à prova Rui Patrício, que defendeu para canto. O Sporting começou a controlar o jogo e, à passagem do minuto dez, Caicedo pegou na bola, ultrapassou dois adversários, mas não conseguiu bater Burchert.

O mesmo Caicedo voltaria a rematar ao minuto 16 mas, mais uma vez, o guardião do Hertha defendeu. No minuto seguinte, Adrien Silva, ainda de fora da área e de pé esquerdo, fez o primeiro golo da noite.

Em vantagem no marcador, os «leões» desaceleraram o ritmo de jogo, optando por esperar pelo erro do adversário que, até ao intervalo, não viria a acontecer.

No segundo tempo, o Sporting entrou determinado a aumentar a vantagem, mas as tentativas de Vukcevic (49 e 65 m) e de Miguel Veloso (63 m) não passaram disso mesmo. Os «leões» controlavam o jogo mas, a espaços, os alemães acreditavam que podiam chegar ao empate. No entanto, a defensiva «leonina» e Rui Patrício estiveram sempre muito seguros.

A dez minutos do final, a turma «leonina» recuou em demasia, arriscanso-se a sofrer o golo do empate que só por alguma sorte não apareceu, depois do remate espectacular de Von Bergen que acabou por embater na barra.

Com esta vitória, e com o empate do Heerenveen na Letónia, frente ao Ventspils, o Sporting segue na frente do Grupo D, com quatro pontos de avanço sobre o segundo classificado, exactamente o próximo adversário dos «leões» nesta competição, o Ventspils.

Ficha de Jogo
2.ª jornada do Grupo D da Fase de Grupos da Liiga Europa
2009-10-01 - Estádio José Alvalade
Árbitro: Serge Gumienny
Árbitros assitentes: Mark Simons e Joël De Bruyn Árbitros assitentes adicionais: Luc Wouters e Jean-Baptiste Bultynck Resultado ao intervalo: 1-0


Sporting - Patrício,Treinador: Paulo Bento
Miguel Veloso, Carriço, Tonel, Abel, Adrien Silva, Moutinho, Vukcevic (Grimi, 78 m), Matias (Pereirinha, 46 m), Caicedo (Djaló, 67 m) e Liedson.


Hertha - Burchert, Pejcinovic, Kaká, Von Bergen, Janker, Raffael, Kacar (Nicu, 66 m), Dardai, Cesar, Ramos (Piszczek, 46 m) e Wichiarnek (Domovchiyski , 80 m).
Treinador - Karsten Heine
Suplentes não utilizados: Sobtzik, Bengtsson e Perdedaj.

Disciplina: cartão amarelo a Matias (20 m), Adrien (31 e 90+2 m), Moutinho (32 m); Pejcinovic (16 m), Wichiarnek (29 m), Kaká (45+1 m), Janker (73 m) e Raffael (85 m). Cartão vermelho, por acumulação, a Adrien (90+2 m)
Golo: Adrien (17 m)

Fonte: http://www.sporting.pt/

FC Porto 1 - SPORTING 0




....ENFIM....

Sporting e FC Porto encontraram-se, na sexta jornada da Liga, para disputarem o primeiro clássico da época: uma partida equilibrada, que terminou com os «leões» reduzidos a nove elementos, por expulsão de Polga e Miguel Veloso.

O clássico do Dragão não teve um bom início para o Sporting, que aos três minutos viu Falcão a marcar o primeiro e único tento da partida. Depois de conseguir sacudir a pressão inicial do FC Porto, os «leões» equilibraram a partida, podendo ter chegado ao empate. Matias Fernandes e Postiga podiam ter marcado. O médio «verde e branco» viu Helton negar-lhe o golo, enquanto que o avançado cabeceou ao poste.

Já mesmo no final da etapa inicial, Miguel Veloso marcou um livre para o segundo poste, onde apareceu Álvaro Pereira para aliviar a bola, no entanto o esférico ia entrando na baliza portista, valendo Helton, que defendeu em cima da linha de golo.

A abrir o segundo tempo, Paulo Bento mexeu na equipa tirando Grimi e pondo Pereirinha – Miguel Veloso recuou para defesa esquerdo. Os «leões» entraram bem, mostrando carácter para darem a volta ao marcador. Mas, aos 52 minutos viram Duarte Gomes expulsar Polga, mostrando ao central do Sporting o segundo cartão amarelo, por grande penalidade cometida sobre Hulk.

Falcão foi chamado para converter o castigo máximo, mas Rui Patrício defendeu, não permitindo que o FC Porto aumentasse a vantagem. Aliás, o guardião do Sporting foi uma das figuras do jogo, por ter feito excelentes defesas não só no primeiro tempo, como na segunda parte, permitindo assim que os colegas lutassem pela reviravolta no marcador. Reduzido a 10 elementos, o Sporting continuou a lutar de igual para igual com a equipa da casa.

Os «leões» mostraram segurança, partiram bem para o ataque, mas a bola acabou por não entrar na baliza portista. Duarte Gomes terminou mal a noite, depois de expulsar Miguel Veloso – o primeiro amarelo que mostrou ao médio «leonino» foi mal exibido – e Paulo Bento. Com estas decisões, Duarte Gomes mostrou dualidade de critérios no campo disciplinar, fazendo com que o Sporting, que lutou até ao final por sair do Dragão com outro resultado, terminasse a partida reduzido a nove elementos.

Liga Sagres – 6.ª jornada
Local: Estádio Dragão
Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa)
Árbitros assistentes: Venâncio Tomé e José Lima
Resultado ao intervalo: 1-0
26 de Setembro de 2009

FC Porto: Helton, Fucile, Rolando, Bruno Alves, Álvaro Pereira, Fernando, Raul Meireles (Valeri, 82 m), Belluschi, Mariano (Tomás Costa, 70 m), Hulk e Falcão (Farías, 78 m).
Treinador: Jesualdo Ferreira.
Não utilizados: Beto, Sapunaru, Maicon e Guarín
Disciplina: Cartão amarelo a Raul Meireles (12 m), Fucile (58 m), Bruno Alves (64 m), Tomás Costa (79 m)
Golos: Falcão (3 m)


Sporting: Rui Patrício, Abel, Daniel Carriço, Polga, Grimi (Pereirinha, 45 m), Miguel Veloso, João Moutinho, Vukcevic, Matias Fernandez (Tonel, 55 m), Liedson e Hélder Postiga (Caicedo, 78 m)
Treinador: Paulo Bento.
Não utilizados: Tiago, Adrien, Angulo e Yannick.
Disciplina: Cartão amarelo a Miguel Veloso (25 m e 90 m) e a Polga (33 m e 52 m), Abel (36 m); Cartão vermelho a Polga (52 m) e a Miguel Veloso (90 m)

Fonte: http://www.sporting.pt/

SPORTING 3 - Olhanense 2


VITORIA PRECIOSA

O Sporting venceu a Olhanense, por 3-2. Os algarvios marcaram dois golos nos primeiros vinte minutos, mas o Sporting chegaria ao empate ainda antes do intervalo. No segundo tempo, já perto do fim, Vukcevic deu os três pontos ao Sporting.

Para a recepção à filial n.º 4 do Clube, Paulo Bento mexeu na equipa que na passada quinta-feira derrotou o Heerenveen (3-2), na Holanda; Matias e Yannick ficaram no banco e para os seus lugares entraram Angulo e Postiga.
Não foi a melhor entrada que os sportinguistas já viram o Sporting fazer em Alvalade, bem pelo contrário; aos vinte minutos de jogo, os «leões» já perdiam por 2-0 (Rabiola aos 9 minutos e Castro aos 19) e o público afecto ao Sporting pedia para que os seus jogadores jogassem à bola… e foi o que eles fizeram, com a ajuda de Paulo Bento. O técnico «verde e branco» fez a primeira alteração na equipa à passagem da meia hora de jogo, tirando Angulo e colocando Djaló e os «leões» começaram a aproveitar o muito espaço que havia no terreno; as oportunidades, essas, começaram a surgir em catadupa… era uma questão de tempo até que o golo aparecesse! Já depois de Postiga, Vukcevic, Liedson e Abel terem falhado o golo, foi um central, Daniel Carriço, a mostrar como se faz, ao responder da melhor maneira a um livre apontado por Miguel Veloso. Era o Sporting que mandava no jogo - a turma algarvia estava muito recuada e só em contra-ataque criava perigo junto da defensiva «leonina» - e apenas cinco minutos depois, Liedson chutou, a bola embateu no braço de Anselmo e Rui Costa assinalou grande penalidade, que Moutinho viria a converter em golo. Estava feito o empate e até ao intervalo pouco mais aconteceria.
Para o segundo tempo o Sporting entrou com vontade de conquistar os três pontos; logo a abrir, Miguel Veloso, de livre directo, quase marcou. Depois, Postiga e Liedson também tentaram, mas foi Vukcevic – que até tinha passado ao lado do jogo - aos 86 minutos, a fazer o 3-2 e a garantir a vitória. Até ao final, Yannick, com tudo para marcar, depois de um trabalho sensacional de Liedson, não acertou na baliza.
No final, o Sporting foi um justo vencedor, apesar da excelente atitude com que a equipa de Jorge Costa se apresentou em Alvalade. Num jogo de grande intensidade – principalmente na primeira parte – os «leões» garantem mais três pontos. Já Liedson não marcou mas fez um grande jogo.

Sporting, 3-Olhanense, 2
5.ª jornada da Liga Sagres
2009-09-21 – Estádio José Alvalade
Árbitro: Rui Costa
Árbitros assistentes: Serafim Nogueira e António Vilaça
Resultado ao intervalo: 2-2

SPORTING - Rui Patrício, Abel, Daniel Carriço, Polga, Caneira (Matias, 60 m), Miguel Veloso, Angulo (Yannick, 28 m), João Moutinho, Vukcevic, Liedson e Hélder Postiga (Caicedo, 70 m).
Treinador: Paulo Bento
Não utilizados - Ricardo Batista, Tonel, Adrien e Pereirinha.

OLHANENSE – Ventura, Miguel Garcia, Sandro, Anselmo, Stéphane, Castro (Messi, 80 m), Tengarinha, Rui Duarte, Ukra, Rabiola (Paulo Sérgio, 74 m) e Toy (Greg, 60 m).
Treinador: Jorge Costa
Não utilizados: Bruno Veríssimo, Éder Baiano, Pietravallo e Zequinha.
Disciplina: cartão amarelo a Caicedo (77 m); Anselmo (41 m), Miguel Garcia (43 m) e Rui Duarte (52 m)
Golos: Carriço (35 m), Moutinho (42 m g.p.), Vukcevic (86 m); Rabiola (9 m) e Castro (19 m).

fonte: www.sporting.pt

Heerenveen 2-3 Sporting






VITORIA PRECIOSA



O Sporting conquistou uma vitória preciosa na primeira jornada do Grupo D da Liga Europa, sendo que o destaque vai para Liedson que marcou os três golos para os «leões».

A turma de Paulo Bento entrou na partida muito confiante, assumindo-se, desde logo, como favorito para este encontro. Nos primeiros três minutos, os «leões» obrigaram Lejsal a três difíceis defesas. Primeiro Liedson através de um remate cruzado, no ressalto Matias Fernandes também tentou a sorte e, por fim, em nova recarga, Miguel Veloso voltou a criar perigo junto do guarda-redes Holandês.

Surpreendentemente, e quando nada fazia adivinhar, o Heerenveen, na primeira vez que chegou perto da baliza «leonina», conseguiu colocar-se em vantagem. O golo do adversário aconteceu, aos 12 minutos, por intermédio de Gerald Sibon que aproveitou o cruzamento de Popov, na esquerda, à entrada da área «verde e branca».

O Sporting respondeu, aos 17 minutos, com Miguel Veloso a rematar para a defesa apertada de Lejsal e Liedson, muito bem posicionado, só teve que empurrar para o fundo da baliza holandesa.

Aos 38 minutos, Caneira salvou de pé direito, e sobre a linha de golo, um chapéu de Paulo Henrique, quando Rui Patrício se encontrava muito adiantado no terreno. Já diz o ditado que quem não marca, sofre. Foi exactamente o que aconteceu, quando aos 40 minutos, o Sporting se adiantou no marcador, mais uma vez por intermédio de Liedson, após assistência de calcanhar de Matias Fernandez.

Aos 47 minutos, João Moutinho surgiu na direita em boa posição de rematar, mas preferiu passar a Liedson que, junto ao poste contrário, não conseguiu fazer o terceiro tento. Seguiu-se um remate perigoso de Vukcevic, mas com a bola a passar ao lado.

O Heervenveen, por seu turno, nunca deixou de procurar o empate. Depois, da oportunidade desperdiçada de Hélder Postiga, aos 68 minutos, que rematou por cima da baliza contrária, foi visível assistir ao Heerenveen a crescer. Elm fez tremer ao rematar rente ao poste da baliza de Rui Patrício e, depois, aos 76 minutos, Dingsdag, de bola parada, acabou por acertar no alvo, colocando o resultado em 2-2.

Aos 83 minutos, os «leões» não sofreram o terceiro golo, muito pela grande eficácia de Rui Patrício que conseguiu defender dois remates de Assaidi e Elm disparados já dentro da sua pequena área. A resposta aconteceu poucos minutos depois, por Liedson, que salvou a turma «leonina», ao marcar o terceiro golo, à passagem do minuto 88.

Caneira, Polga e Matias titulares
Para este embate, Paulo Bento, fez entrar uma equipa com algumas alterações da última convocatória. Caneira jogou de início, uma vez que André Marques se encontra lesionado. Polga regressou ao eixo da defesa e Matias Fernandes ao meio campo «leonino». Saíram do «onze» para o banco de suplentes Angulo e Tonel.
Quanto aos convocados, Bruno Pereirinha e Tiago foram preteridos pelo técnico, assistindo ao desafio na bancada do Estádio Abe Lenstra.

Seis árbitros marcam experiência inovadora
Este encontro marcou o início de uma experiência inovadora, ou seja, um novo modelo em teste na Liga Europa, que consiste em ter seis (mais dois) juízes a acompanhar o encontro. Esses dois novos elementos ocuparam a zona da linha de fundo, tendo como especial atenção os lances dentro da área.

Ficha de jogo
17 de Setembro de 2009.
Estádio Abe Lenstra, na Holanda.
Árbitro: Alexei Nikoulaev (Russia).
Resultado ao intervalo: 1-2.

HEERENVEEN – Lejsal; Popov (Elm, 50 m), Dingsdag, Brever e Back Nielsen; Grindheim (Assaidi, 72 m), Losada, Svec e Paulo Henrique; Gerald Sibon (Papadopulos, 84 m) e Beerens.
Treinador: Jan de Jong.
Suplentes não utilizados: Vandenbussche, Djuric, Ingelsten, e Koning.
Golos: Gerald Sibon (12 m) e Dingsdag (76 m)

SPORTING – Rui Patrício; Abel, Daniel Carriço, Polga e Caneira; Miguel Veloso, João Moutinho, Vukcevic (Tonel, 89 m) e Matias Fernandez (Angulo, 81 m); Yannick Djaló (Hélder Postiga, 61 m) e Liedson.
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes: Ricardo Batista, Adrien Silva, Felipe Caicedo e Grimi.
Acção disciplinar: cartão amarelo para Miguel Veloso (65 m).
Golos. Liedson (17, 40 e 88 m).

FALECEU ARMANDO MANHIÇA (O "115" do SCP)

Armando Manhiça, o "115" do Sporting num jogo com a Fiorentina
(5º de pé a contar da esquerda)
Antonio Costa (Nucleo Sportinguista de Moçambique), Armando Manhiça e Aureliano Figueiredo (Casa do Futebol Clube do Porto de Maputo) aquando do Almoço de homenagem feito em 18 de Maio de 2008, onde foi criado um pequeno fundo de apoio ao Homem Armando Manhiça

******

O Núcleo Sportinguista de Moçambique e a Casa do Futebol Clube do Porto de Maputo comunicam que, Armando António Manhiça, faleceu em Maputo, vitima de doença no dia 13 de Julho de 2009.

Armando Manhiça, velha glória do Futebol moçambicano e português (tendo representado a selecção de Portugal), bem como do Sporting Clube de Portugal e Futebol Clube do Porto.

Armando Manhiça teve uma carreira precoce, representando o Sporting e o Porto, tendo tido enquanto jogador do Porto um acidente que o impossibilitou de continuar a sua carreira futebolística, tendo voltado a Moçambique. No passado recente teve vários problemas de saúde, nomeadamente ao nível dos diabetes, uma trombose, o que fez com que necessitasse de acompanhamento médico regular.

Armando Manhiça era também Membro Honorário do Nucleo Sportinguista de Moçambique e da Casa do Futebol Clube do Porto de Maputo.

PAZ À SUA ALMA.

SPORTING 1 - Paços Ferreira 0





LIEDSON RESOLVE COM GOLO CENTENÁRIO NO CAMPEONATO

O Sporting demorou 80 minutos a quebrar a resistência pacense, vencendo por 1-0, com um golo do «suspeito do costume», que somou o 100.º golo no campeonato com a camisola «verde e branca».

Paulo Bento optou por colocar o 4x4x2 na sua forma clássica, promovendo a estreia de Angulo, no corredor direito, a titular, numa equipa que contou ainda com os regressos de Abel e de Tonel ao quarteto defensivo. Yannick manteve-se ao lado de Liedson no ataque e coube ao jovem atacante formado em Alvalade dispor da primeira oportunidade de golo, quando rematou forte e de pé direito, muito perto do poste da baliza pacense. As duas substituições, por lesão, por parte do Paços – e respectivas paragens para assistência dos seus atletas – quebraram a intensidade inicial, com o perigo a voltar apenas aos 24 minutos, quando Tonel, em cabeceamentos a responder a pontapés de canto transformados por João Moutinho, esteve perto, por duas vezes, de marcar.

Os minutos iam passando e a bola girou demasiado tempo aos repelões e pelo ar, com a última oportunidade de perigo antes do descanso a pertencer aos visitantes, com Cristiano a ver o seu remate rasteiro ao segundo poste ser negado por uma grande defesa de Rui Patrício, após perda de bola de André Marques.

Ao intervalo, Paulo Bento trocou André Marques e Angulo por Matias Fernandez e Hélder Postiga, que se juntou a Liedson no ataque, com Miguel Veloso a passar para defesa-esquerdo, Moutinho para «trinco» e Yannick para o corredor direito. O ritmo e a qualidade da partida melhoraram, com o Sporting a conseguir chegar ao último terço do terreno, mas os vários cruzamentos para a área não tiveram a devida correspondência na finalização, perante um Paços que tentou responder em contra-ataques, sempre neutralizados pela defensiva pacense. O Sporting dominou a etapa final, voltando a estar perto do golo aos 75 minutos, quando Ozeia, num alívio defensivo que levou a direcção da sua baliza, obrigou Cássio a uma defesa plena de reflexos e instintos, numa altura em que os nervos se apoderavam das bancadas de Alvalade. Até que Liedson surgiu na partida. O internacional português apareceu solto (80 m) junto ao segundo poste para, na sua primeira oportunidade em todo o encontro, inaugurar o marcador com um cabeceamento cruzado e sem hipóteses para Cássio.

Conseguida a vantagem no marcador, seguiu-se a numérica – após as expulsões de Fábio Pacheco (85 m) e de Baiano (90 m) – com os minutos até final a serem de controlo e de gestão da conquista de três pontos.
Na próxima jornada, o Sporting recebe o Olhanense.

Ficha de Jogo

SPORTING: Rui Patrício; Abel, Daniel Carriço, Tonel e André Marques (Matias Fernandez, 45 m); Miguel Veloso, João Moutinho, Angulo (Hélder Postiga, 45 m) e Simon Vukcevic; Yannick Djaló (Marco Caneira, 85 m) e Liedson. Treinador: Paulo Bento. Suplentes não utilizados: Ricardo Batista, Adrien Silva, Carlos Saleiro e Leandro Grimi. Disciplina: cartões amarelos a André Marques (17 m), Miguel Veloso (27 m) e Vukcevic (30 m), Golo: Liedson (80 m).

Paços de Ferreira: Cássio; Filipe Anunciação (Pedrinha, 37 m), Danielson, Ozeia e Kelly (Carlitos, 10 m) (Fábio Pacheco, 63 m); Olímpio, Ricardo, Wanderson Baiano e Jorginho; Cristiano e Ciel. Treinador: Paulo Sérgio. Suplentes não utilizados: Coelho, William, Leandrinho e Manuel José. Disciplina: cartões amarelos a Ozeia (30 m), Ricardo (35 m), Wanderson Baiano (40 e 90 +3 m), Ciel (43 m), Pedrinha (76 m), Fábio Pacheco (78 e 85 m) e Cristiano (86 m). Cartões vermelhos a Fábio Pacheco (85 m) e Wanderson Baiano (90 + 3 m).

Futebol – 4.ª jornada da Liga.
Estádio José Alvalade 2009-09-13.
Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal).
Árbitros auxiliares: Paulo Ramos e António Godinho.
Resultado ao intervalo: 0-0.

Fonte: www.sporting.pt

ACADEMIA DO SPORTING VISITOU O NUCLEO DE MOÇAMBIQUE

Professor Paulo Cardoso, "olheiro" de muitos craques do nosso Sporting, junto do nosso Leão do Nucleo Sportinguista de Moçambique

Prof Paulo Cardoso com membros do Nucleo de Moçambique

Professor Paulo Cardoso com João Trincheiras e os presente que nos trouxe, nomeadamente as fotos oficiais do actual Presidente do Sporting e anterior Presidente, uma camisola oficial do Matias Fernandez e uma obra de arte em vidro feito á mão.

Obrigado pela visita, e desde o dia 3 de Setembro, Membro efectivo do Nucleo Sportinguista de Moçambique.



Dr Antonio Dias da Cunha - Membro Honorário


Foi no passado dia 31 de Agosto que tivemos a honra da visita às instalações do Nucleo Sportinguista de Moçambique do Dr Antonio Dias da Cunha, ex Presidente do Sporting Clube de Portugal.
Foram 2 horas de convivio, nas quais nos conferenciou que o nosso Nucleo é o primeiro Nucleo do Sporting que visita...fora de Portugal.
Foi entregue nesse dia o cartão de Membro honorário do Nucleo, pronto desde 2006 esperando sua visita.
Bem vindo à sua casa sempre que vier a Moçambique.
Foi feita a promessa de nos visitar mais vezes, sempre que se desloque a Maputo.

Académica 0 - SPORTING 2





Recuperar a confiança

O Sporting venceu em Coimbra com golos de Liedson e Yannick Djaló conquistando a primeira vitória na Liga Sagres.

Paulo Bento apostou no onze que actuou em Florença, tentando garantir maior coesão à estrutura, mas o «leão» demorou a libertar-se da ansiedade de conquistar o primeiro triunfo na liga portuguesa.

A Académica até foi a primeira a criar perigo, num lance confuso na área que terminou com o cabeceamento de Paulo Sérgio à figura de Rui Patrício.

O início de jogo foi muito disputado na zona intermediária, sem que as duas equipas conseguissem chegar perto das zonas de decisão, isto até ao remate fulgurante de Yannick à barra ao minuto 21 que podia ter adiantado os «leões» no marcador.

O Sporting tinha algumas dificuldades para sair em progressão, após recuperar a bola, mas a partir da meia hora foi conseguido esticar o jogo, criando duas jogadas perigosas através da velocidade de Yannick.

Contudo, sem grandes lances para o Sporting finalizar na primeira parte, Paulo Bento apostou então em Vukcevic (Pereirinha) e logo a seguir alargou a frente de ataque com a entrada de Saleiro (André Marques), recuando Veloso para a lateral esquerda. A entrada do montenegrino travou alguma inoperância atacante, latente desde a primeira parte, e foi após um movimento individual de Vukcevic que o Sporting abriu o activo em Coimbra. O médio ultrapassou na raça o marcador directo e serviu Liedson que de cabeça bateu o guarda-redes Ricardo.

O golo animou os «leões» que passaram a gerir melhor a posse de bola e o resultado, obrigando, com pressão alta, a Académica a errar. Os estudantes ficariam reduzidos a dez unidades por expulsão de Miguel Pedro e, logo a seguir, Carlos Saleiro teve uma excelente ocasião para matar o jogo mas atirou por cima. A seis minutos do fim o jovem avançado, lançado por Liedson, serviu na perfeição Yannick Djaló para sentenciar a partida.

O Sporting consegue assim a primeira vitória no campeonato, antes do interregno da prova devido aos compromissos da selecção, que devolve a confiança ao grupo de trabalho verde e branco.

Liga Sagres
2009-08-30
Estádio Cidade de Coimbra
Árbitro: Jorge Sousa (Porto)
Árbitros assistentes: José Ramalho e José Luís Melo.
Ao intervalo: 0-0

ACADÉMICA: Ricardo; Pedrinho, Orlando, Luiz Nunes, Pedro Costa, Paulo Sérgio, Cris, André Fontes (Éder, 71 m), Miguel Pedro, Licá (Tiero, 79 m) e Lito (Sougou, 63 m).
Treinador: Rogério Gonçalves
Suplentes não utilizados: Rui Nereu, Amoreirinha, Emídio Rafael e Vouhou.
Disciplina: Cartão amarelo para Miguel Pedro (26 e 75 m) e André Fontes (35 m).
Cartão vermelho Miguel Pedro (75 m).

SPORTING: Rui Patrício; Pedro Silva (Caneira, 72 m), Polga, Daniel Carriço, André Marques (Saleiro, 56 m), Miguel Veloso, João Moutinho, Matias Fernandez, Bruno Pereirinha (Vukcevic, 45 m), Liedson e Djaló.
Treinador: Paulo Bento
Suplentes não utilizados: Tiago, Abel, Tonel e Adrien.
Disciplina: Cartão amarelo para Pedro Silva (50 m), André Marques (53 m), João Moutinho (57 m) e Daniel Carriço (77 m).
Golos: Liedson (64 m) e Yannick (84 m).

fonte: www.sporting.pt

Fiorentina 1 x SPORTING 1







Empate soube a pouco

Em Florença, o Sporting não foi além de um empate a uma bola e não conseguiu chegar à fase de grupos da «Champions», garantindo assim um lugar na Liga Europa. Moutinho, de livre directo, colocou os «leões» em vantagem mas, na segunda parte, a turma italiana chegou ao empate, um resultado que lhe servia para seguir em frente. O Sporting tentou chegar à vitória, mas o marcador não mais se alterou.

Para tentar inverter o 2-2 de Alvalade e chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões, Paulo Bento não podia contar com Vukcevic (castigado), Postiga, Izmailov e Caicedo (lesionados); assim, o técnico «leonino» manteve a defesa utilizada ante o Sp. Braga (Pedro Silva, Carriço, Pola e André Marques) e colocou Pereirinha no vértice direito do losângo. Moutinho, à esquerda, Matias, a «dez» e Veloso a trinco. Os quatro formaram o apoio aos avançados, Djaló e Liedson.

Os «leões» entraram bem no jogo, nitidamente à procura do golo que daria a vantagem na eliminatória. Aos 11 minutos, Djaló, com tudo para fazer golo, depois de assistência sublime de Liedson, não conseguiu acertar no alvo. O mesmo Djaló ganhou, três minutos depois, um livre à entrada da área. Matias apontou, mas Frey defendeu para canto. O Sporting dominava a turma «viola» e, aos 35 minutos, depois de mais uma falta sobre o - irrequieto - Djaló, Moutinho bateu um livre de forma perfeita e deu vantagem aos «leões».

Até ao intervalo, a Fiorentina reagiu, mas nunca criou perigo para a baliza de Patrício.

No segundo tempo, a formação italiana entrou melhor e Jovetic, que entrara ao intervalo, colocou a Fiorentina em vantagem na eliminatória (55 m); no minuto seguinte, o Sporting quis mostrar que a eliminatória não estava decidida e Moutinho, ainda de fora da área, rematou mas o pontapé saiu à figura de Frey. Dez minutos depois, após uma abertura de Miguel Veloso, Pereirinha não conseguiu colocar em Liedson, nem em Saleiro, perdendo-se uma grande oportunidade.

Até ao final, o Sporting ainda tentou chegar ao golo, mas a Fiorentina, com as linhas muito recuadas, não dava espaço para os «leões» criarem grandes ocasiões de golo.

Com este resultado, o Sporting falhou a quarta presença consecutiva na fase de grupos da «Champions» e garantiu um lugar na, recém-criada, Liga Europa.

Ficha de Jogo
Fiorentina, 1 - Sporting, 1
2.ª mão do play-off de acesso à Liga dos Campeões
26-08-2009 - Estádio Artemio Franchi, Florença (Itália)
Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)


Árbitros assistentes: Darren Cann e Peter Kirkup Resultado ao intervalo: 0-1


Fiorentina - Frey, Danielli, Gamberini,Gobbi (Jovetic, 45 m), Comotto, Montolivo, Zanetti (Donadel, 80 m), Vargas, Mutu (Jorgensen, 72 m) e Gilardino Não utilizados: Avramov, Kroldrup, Pasqual e Santana Treinador:Cesare Prandelli


Sporting - Patrício, Polga, Carriço, Pedro Silva (Tonel, 80 m), André Marques, Miguel Veloso, Pereirinha, Moutinho, Matias (Saleiro, 61 m), Liedson e Djaló Não utilizados: Tiago, Adrien, Rochemback, Caneira e Abel
Treinador: Paulo Bento


Disciplina: Comotto (33 m), Jovetic (67 m); Pedro Silva (49 m), André Marques (69 m) e Caneira - no banco - (90+1 m)
Golos: Jovetic (55 m); Moutinho (35 m)


SPORTING 1 x Braga 2






Em jogo a contar para a segunda jornada da Liga, o Sporting sofreu uma derrota caseira por 1-2. Os «leões» estiveram a perder por 0-1, conseguiram chegar ao empate por intermédio de Djaló, mas a 10 minutos do final os bracarenses marcaram, fixando o resultado em 1-2.

A partida começou com o Sporting a dominar, tendo aos 4 minutos a primeira grande ocasião para marcar. Matias Fernandez efectuou um excelente passe para Vukcevic, que atrasou para Liedson. O «levezinho» rematou forte, tendo Moisés evitado o golo dos «leões» cortando a bola com o braço. Os jogadores «verdes e brancos» reclamaram grande penalidade, mas Olegário Benquerença nada assinalou. Nos primeiros minutos de jogo, o Sporting esteve com o «gás» todo, imprimindo velocidade nas transições, mas foi o Braga que, aos 11 minutos, inaugurou o marcador, através de um golo de Alan. Os pupilos de Carlos Pereira acusaram o golo e só mostraram alguma reacção já no final do primeiro tempo, altura em que Caicedo já tinha ocupado o lugar de Hélder Postiga, que saiu lesionado.

No segundo tempo, o jogo iniciou-se numa toada mais lenta, com as primeiras oportunidades para o Sporting a surgirem aos 58 e 60 minutos, por intermédio de Caicedo e Liedson, que ficaram muito próximos de acertarem no alvo.

Carriço, aos 62 m, podia ter feito o primeiro da turma «leonina», mas Eduardo evitou o tento. O Sporting apresentou-se mais solto, com mais facilidade em fazer as transições e ao minuto 70 aconteceu aquilo que já se adivinhava: o tento «leonino». Yannick Djaló, acabado de entrar em campo para o lugar de Matias Fernandez, foi o autor de um grande golo. O avançado rematou cruzado, de fora da grande área bracarense, para o fundo das redes contrárias. À imagem do que aconteceu na primeira parte, quando parecia que o Sporting tinha o jogo controlado e estava em busca do golo que o colocaria à frente no marcador, foi o Sp. Braga que chegou ao segundo tento, por intermédio de Meyong quando estavam decorridos 80 minutos de jogo. Os «leões» tentaram reagir e Liedson, a quatro minutos do final teve o golo do empate nos pés, mas a bola saiu ao lado, sem que Caicedo conseguisse chegar a tempo para fazer a emenda. Perante o que se passou em Alvalade, a derrota do Sporting é pesada para aquilo que se passou ao longo dos 90 minutos.

Liga Sagres – 2.ª jornada
Local: Estádio José Alvalade
Árbitro: Olegário Benquerença
Árbitros assistentes: Bertino Miranda e João Santos
Resultado ao intervalo: 0-1
22 de Agosto de 2009

Sporting: Rui Patrício, Pedro Silva (Pereirinha, 58 m), Daniel Carriço, Polga, André Marques, Miguel Veloso, Moutinho, Vukcevic, Matias (Yannick, 68 m), Postiga (Caicedo, 36 m) e Liedson
Treinador: Carlos Pereira
Não utilizados: Ricardo Batista, Rochemback, Caneira e Tonel
Disciplina: Cartão amarelo a Daniel Carriço (44 m), Liedson (50 m)
Golo: Yannick (70 m)

Sp. Braga: Eduardo, Rodriguez (Paulão, 65 m), Moisés, Evaldo, Mossoró, Paulo César (Fernando, 65 m), Meyong, Alan, Hugo Viana (Matheus, 73 m), João Pereira e Vandinho.
Treinador: Domingos Paciência
Não utilizados: Kieszek, Diogo Valente, Frechaut e Madrid.
Disciplina: Cartão amarelo a Mossoró (32 m), Hugo Viana (32 m), Eduardo (51 m), João Pereira (53 m)
Golo: Alan (11 m), Meyong (80 m)


fonte: http://www.sporting.pt/

Sporting, 2-Fiorentina, 2





Faltou a vitória


Na recepção à Fiorentina, os «leões» não foram além de um empate a dois golos. Depois de estarem a perder ao intervalo, o Sporting, com alma de campeão, deu a volta ao resultado mas, a dez minutos do final, Gilardino empatou o jogo e deu aos italianos a vantagem de terem marcado golos fora. Em Florença a turma «verde e branca» terá de ganhar, ou pelo menos empatar marcando mais de dois golos, para seguir para a fase de grupos da «Champions».

Para o encontro com a Fiorentina, Paulo Bento fez três alterações em relação ao jogo com o Nacional; saiu Abel, Rochemback e Djaló e, para os seus lugares, entraram Pedro Silva, Matías e Vukcevic.

O Sporting entrou à procura do golo e, logo nos primeiros dois minutos de jogo, criou duas oportunidades de golo; Moutinho obrigou Frey a defesa apertada e Liedson não ramatou com a potência desejada. Mas foi a Fiorentina que chegou ao golo na primeira oportunidade de que dispôs. Vargas, na sequência de um contra-ataque, ultrapassou Pedro Silva e bateu Rui Patrício.

Depois, e como acontecera até então, os «leões» tomaram conta dos acontecimentos mas, antes do intervalo, não conseguiriam chegar ao empate; ora por culpa do árbitro que, em caso de dúvida, decidia sempre a favor dos italianos - e aos 12 minutos poupou a expulsão a Gamberini por agressão a Liedson - ora por culpa própria.
Para o segundo tempo, o Sporting entrou como para o primeiro; à procura do golo. Mas, desta vez, o golo foi dos «leões»; aos 58 minutos, depois de um lance confuso na área «viola», Vukcevic - que viria a ser expulso por, durante os festejos, tirar a camisola - bateu Frey pela primeira vez.

Nesta fase do encontro, o Estádio estava ao rubro, das bancadas chegava o apoio necessário para que a ausência de um jogador não se notasse e, aos 66 minutos, Miguel Veloso, de pé esquerdo, disparou um «míssil» que só parou no fundo das redes, colocando Alvalade em extâse. A volta ao resultado estava dada mas, mesmo com menos um elemento, o Sporting procurava o golo que dava algum conforto para o jogo de Florença. No entanto, e já depois de Liedson falhar o 3-1, foi a Fiorentina que chegou ao empate, a dez minutos dos 90, por intermédio de Gilardino.

Até ao final, Paulo Bento tentou dar mais velocidade ao ataque, colocando Djaló no lugar de Postiga, mas foi a Fiorentina que quase chegou ao golo, de novo por Vargas, mas Patrício opôs-se da melhor maneira, evitando aquilo que seria uma total injustiça. A finalizar, Matías, depois de jogada individual, quase marcou, mas o resultado não mais se alterou.

Uma nota para o árbitro que, ao não expulsar Zanetti, Gamberini e Danielli (que já tinham um amarelo) e ao não assinalar grande penalidade sobre Liedson, mostrou que na Europa - ou pelo menos na Húngria, também há árbitros muito maus...

A segunda mão joga-se em Florença, no próximo dia 26.

Ficha de jogo:
Sporting, 2-Fiorentina, 2
Primeira mão do playoff de acesso à Liga dos Campeões Estádio José Alvalade - 18-08-2009
Árbitro: Viktor Kassai (HUN)
Árbitros assistentes: Gabor Eros e Tibor Vamos
Ao intervalo: 0-1

SPORTING - Patrício, Carriço, Polga, Pedro Silva (Pereirinha, 56 m), André Marques (Caneira, 67 m), Miguel Veloso, João Moutinho, Vukcevic, Matías Fernandez, Postiga (Djaló, 80 m) e Liedson.
Treinador: Paulo Bento
Não utilizados: Tiago, Rochemback, Caicedo, Tonel e Djaló.

Fiorentina - Frey, Gamberini, Danielli, Comotto, Gobbi, Montolivo (Donadel, 79 m), Zanetti, Vargas, Mutu (Jovetic, 63 m), Marchionni e Gilardino
Treinador: Cesare Prandelli
Não utilizados: Avramov, Kroldrup, Jorgensen, Kuzmanovic e Pasqual


Golos: Vukcevic (58 m), Miguel Veloso (66 m); Vargas (6 m), Gilardino (79 m)
Disciplina: cartão amarelo a Vukcevic (12 e 58 m); Gamberini (12 m), Zanetti (15 m) e Danielli (29 m),

fonte_ http://www.sporting.pt/

Nacional 1 - SPORTING 1






Empate na Madeira

O Sporting voltou a empatar na Choupana, à semelhança dos últimos anos, abrindo a Liga Sagres com uma igualdade a uma bola.

Um auto-golo de João Aurélio, que até marcou nas duas balizas, deu o empate justo ao Sporting. Com Carlos Pereira a liderar no campo - Paulo Bento esteve na bancada em virtude do castigo de dois jogos aplicado pela Comissão Disciplinar da Liga – a equipa técnica escolheu Rochemback para jogar perto de Miguel Veloso, colocando Yannick e Moutinho com maior liberdade junto às alas, em detrimento do chileno Matias Fernandez.

O Sporting entrou decidido na partida, com rápidas variações e muita mobilidade dos médios, conseguindo chegar com relativa facilidade à grande área do Nacional. A partir dos vinte minutos, os insulares equilibraram as operações e na sequência de um canto, João Aurélio teve a bola à mercê, após corte ineficaz de Polga, para adiantar o Nacional no marcador. Um rude golpe para as aspirações dos «leões» que tinham tido algumas situações para marcar, ainda antes do golo insular.

O Sporting aumentou a intensidade atacante, mas não conseguiu libertar-se da ansiedade da desvantagem até ao intervalo. A perder, o técnico do Sporitng colocou Vukcevic e Pereirinha nos lugares de Rochemback e Abel, e a equipa ganhou outra vivacidade ofensiva. Com maior posse de bola, e já com o Nacional adoptando uma postura demasiado defensiva, os «leões» viriam a chegar à igualdade através de um auto-golo de João Aurélio, na sequência de um canto de Vukcevic. Uma “injecção de moral” para os «leões» que, a partir daí, foram donos e senhores do jogo, e só por manifesta falta de sorte não conseguiram vencer a partida.

Liedson teve ocasião soberana, logo no minuto seguinte, para encetar a reviravolta, mas a bola embateu em Clebão quando ia para a baliza. Os «leões» ganharam maior acutilância com a presença de Vukcevic e Matias Fernandez (André Marques) que teve boa ocasião para o 1-2 perto do final. No último lance de perigo, Yannick não conseguiu dar a melhor direcção a um remate cruzado que saiu perto do poste da baliza de Bracalli.

Ficha de Jogo:

Liga Sagres – 1ª jornada
2009-08-15
Estádio da Madeira
Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)
Árbitros assistentes:
Ao intervalo: 1-0

Nacional: Rafael Bracalli; Patacas, Clebão, Tomasevic, Nuno Pinto (Wellington, 50 m), Cléber, Luís Alberto, Leandro Salino, Ruben Micael (Pecnik, 60 m), João Aurélio (Anselmo, 82 m) e Amuneke.
Treinador: Manuel Machado
Suplentes não utilizados: Douglas; Abdou Guirassy e Rodrigo.
Disciplina: Cartão amarelo para Ruben Micael (41 m)
Golo: João Aurélio (27 m).
Sporting: Rui Patrício; Abel (Bruno Pereirinha, 45 m), Daniel Carriço, Polga, André Marques (Matias Fernandez, 68 m), Miguel Veloso, Rochemback (Vukcevic, 45 m), João Moutinho, Yannick Djaló, Hélder Postiga e Liedson.
Suplentes não utilizados: Ricardo Batista; Caneira, Tonel e Saleiro.
Disciplina: Cartão amarelo para João Moutinho (25 m) e Polga (65 m).
Golo: João Aurélio (p.b, 75 m).


fonte: http://www.sporting.pt/


Twente 1 - SPORTING 1







RUI PATRÍCIO ENTRA NA HISTÓRIA DO SPORTING

O guarda-redes teve papel preponderante na jogada do empate, conseguido já nos descontos, que qualifica o Sporting para o «playoff» da Liga dos Campeões.

O golo de Douglas, que se antecipou a Polga num pontapé de canto logo ao segundo minuto do encontro, «deitou por terra» alguma da estratégia de Paulo Bento – que surpreendeu com a colocação de André Marques e de Yannick Djaló no corredor esquerdo – com a equipa «leonina» a ser, tal como uma semana antes, a equipa a ter que procurar o golo. Porém, foi Nkufo, aos 3 e 5 minutos, quem esteve perto de marcar, com Postiga a responder, no minuto seguinte, num remate de fora da área.

Até meio da primeira parte, a equipa «verde e branca» sentiu dificuldades em parar a circulação entre os flancos adversária, «pegando», depois, no jogo, perante o recuo holandês para o seu meio-campo, com Postiga, por duas vezes, e André Marques a tentarem a sua sorte em remates de fora da área. Pelo meio, Douglas cometeu mais uma grande penalidade (17 m) não assinalada, ao tocar com o seu braço direito na bola.

De regresso dos balneários, Pereirinha substitui Matias Fernandez, transformando o losango em 4x4x2 «clássico», na tentativa de dar largura ao ataque face a um Twente super-defensivo, procurando explorar os contra-ataques e os lances de bola parada, com Nkufo, 49 minutos, a cabecear, após canto, às malhas laterais.

Aos 62 minutos, Caicedo estreou-se com a camisola do Sporting, no lugar de Postiga, com Liedson, no minuto seguinte, a cabecear à figura, após canto. Cinco minutos depois, uma boa oportunidade para cada lado, com Rui Patrício a defender o remate forte de Tioté e, na resposta, Liedson cabeceou por cima um cruzamento de Caicedo. O Sporting teve sempre a bola na última meia-hora, lutou muito, mas não criava perigo real. Caicedo apareceu, por duas vezes, solto na área contrária, mas viu os seus companheiros desperdiçarem, pelos nervos e fadiga acumulada, as oportunidades até que surgiu o apuramento para a fase seguinte da competição: no último minuto de descontos, Rui Patrício, que subiu à área contrária, viu o seu cabeceamento sobre um desvio de um holandês para dentro da baliza de Mihaylov.

O apuramento estava garantido e, quatro anos depois do canto transformado em golo por Miguel Garcia na meia-final da Taça UEFA com o AZ Alkmaar, a Holanda voltou a ser «terra de sonhos sportinguista», desta vez com Rui Patrício a ganhar um lugar na história do Clube.

O sorteio do «playoff» da «Champions» realiza-se na sexta-feira, em Nyon.

Futebol – 2.ª mão da III pré-eliminatória da Liga dos Campeões.
2009-08-04 – Estádio Grosch Veste (Holanda).
Árbitro: Stephane Laurent (França).
Árbitros auxiliares: Eric Dansault e Laurent Ugo.
Resultado ao intervalo: 1-0.

Twente, 1
Mihaylov; Stam, Wisgerhof, Douglas e Rajkovic; Brama, Janssen e Perez (Tioté, 58 m); Stoch (Rukavytsya, 78 m), Brian Ruiz (Vujicevic, 90 m) e Nkufo. Treinador: Steve McLaren. Suplentes não utilizados: Paauwe, Kuiper, Heubach e Akram. Disciplina: nada a assinalar. Golo: Douglas (1 m).


Sporting, 1
Rui Patrício; Abel, Anderson Polga, Daniel Carriço e André Marques (Simon Vukcevic, 62 m); Miguel Veloso, João Moutinho, Yannick Djaló e Matias Fernandez (Bruno Pereirinha, 45 m); Hélder Postiga (Felipe Caicedo, 62 m) e Liedson. Treinador: Paulo Bento. Suplentes não utilizados: Tiago, Tonel e Fábio Rochemback. Disciplina: cartão amarelo a Postiga (41 m). Golo: Rui Patrício, 90+4 m.